Há uma revolta vegan na Austrália, e uma resposta musculada do Governo

Talhos e matadouros foram invadidos por activistas. Primeiro-ministro australiano condena protestos e promete apoiar a indústria da carne na justiça. Meia centena de pessoas foram detidas.

Fotogaleria
Manifestantes algemavam-se em grupo para bloquear o trânsito em várias cidades da Austrália Reuters/STRINGER
Fotogaleria
EPA/JOEL CARRETT
Fotogaleria
EPA/ELLEN SMITH
Fotogaleria
EPA/ELLEN SMITH
Fotogaleria
EPA/ELLEN SMITH

O primeiro-ministro da Austrália classificou como “vergonhosos” e “anti-australianos” os protestos de activistas contra a indústria da carne que esta segunda-feira tiveram lugar nas cidades nos estados de Vitória, Nova Gales do Sul e Queensland, e que resultaram na detenção na detenção de perto de 50 pessoas, com idades entre os 15 e os 61 anos.

Entre os vários locais alvo dos protestos estiveram diversos matadouros e talhos, que foram invadidos e vandalizados. Foram também libertados animais que estavam em quintas. O trânsito nas principais ruas de algumas cidades foi bloqueado por activistas que se algemaram em grupo no meio da estrada durante a hora de ponta.

À ABC News Australia, um casal que explora um restaurante numa quinta conta que foi forçado a encerrar o estabelecimento e denuncia que tem recebido ameaças de movimentos ambientalistas através de telefone, redes sociais e email.

Em declarações à rádio 2GB, citadas pela BBC, o primeiro-ministro australiano Scott Morrison considerou que “estas formas de activismo atentam contra o interesse nacional porque a vida dos agricultores está a ser afectada”.

Num comício em Brisbane, numa altura em que a Austrália está em campanha para as eleições legislativas, Morrison, que é também líder do Partido Liberal, defendeu o auxílio aos produtores de carne em processos judiciais contra o que apelidou de “criminosos de colarinho verde”.

O movimento ambientalista australiano, por seu turno, diz querer sensibilizar a população para a adopção de uma alimentação vegan para pôr termo ao abuso de animais na indústria da carne. “Este protesto é pacífico” e “SOS emergência animal e emergência climática” foram as mensagens mais vistas nos cartazes dos manifestantes esta segunda-feira.

Segundo o The Guardian, o ministro da agricultura Mark Furner anunciou no domingo está a ser preparada legislação para multar de forma sumária quem atente contra a actividade agrícola, e que o Governo está a colaborar com a polícia para evitar novos protestos.

Segundo o Fórum Económico Mundial, a Austrália é o segundo maior consumidor de carne no mundo (94,8 quilos anuais per capita), sendo apenas ultrapassado pelos Estados Unidos (97,1kg quilo). A indústria pecuária representa 40% da produção agrícola na Austrália. A produção e consumo de carne dispararam nos últimos 50 anos em todo o mundo.