Empates impedem a festa do título da Juventus e do PSG

A igualdade do Nápoles neste domingo não permitiu a festa da equipa de Turim, os parisienses não festejaram por culpa própria.

O Estrasburgo empatou a dois golos em Paris
Foto
O Estrasburgo empatou a dois golos em Paris LUSA/IAN LANGSDON

A nível europeu as frustrações sucedem-se época após época, mas nas provas internas os milhões investidos pelo qatari Nasser Al-Khelaifi continuam a resultar em passeios para o Paris Saint-Germain. O alemão Thomas Tuchel precisava  apenas de vencer neste domingo o Estrabusrgo, em Paris, para igualar um feito de Laurent Blanc: em 2015-16, o treinador francês fez história ao tornar o clube parisiense no mais prematuro campeão da história do futebol francês. No entanto, a equipa de Paris ficou-se por um empate e Tuchel terá que esperar mais uma semana para festejar.

Poucas horas depois de o Lille empatar (1-1) na curta deslocação a Reims — José Fonte, o único português titular no vice-líder gaulês, marcou — a festa do PSG parecia uma inevitabilidade. Mas sem Neymar, Cavani e Di Maria — Mbappé entrou apenas aos 60’ —, os parisienses viram interrompida uma série de oito vitórias consecutivas com um empate no Parque dos Príncipes frente o Estrasburgo (2-2). Os festejos ficaram suspensos e, curiosamente, podem agora ter como palco a casa do principal adversário: na próxima jornada, o PSG joga em Lille.

Tal como em França, em Itália tudo ficou em stand-by devido a um empate. Com 21 pontos de vantagem sobre o Nápoles, a Juventus garantia o oitavo titulo consecutivo se o Génova conseguisse a proeza de ganhar no San Paolo, mas com Pedro Pereira e Miguel Veloso no “onze”, os forasteiros ficaram-se por uma meia-surpresa: empate a um golo. Cristiano Ronaldo e companhia não puderam, por isso, festejar no sofá.