Fabio Augusto
Foto
Fabio Augusto

Em poucos países se faz amigos como em Portugal — e quem o diz são os estrangeiros

Um inquérito realizado pela comunidade online InterNations mostra que Portugal está bem colocado no que diz respeito à facilidade em fazer amigos e à qualidade de vida em geral quando se é um residente estrangeiro.

Fazer amigos pode ser um dos maiores problemas para quem muda de casa ou de emprego. E o desafio é ainda maior se essa mudança for para um país estrangeiro. Tanto que apenas 57% dos expatriados dizem achar fácil fazer amigos no seu novo país de residência e uma parcela ainda mais pequena, 45%, acha que travar uma amizade com a população local é simples. Mas nem tudo são más notícias: Portugal está no top 10 dos países onde é mais fácil fazer amigos para os expatriados, logo depois do México, Bahrein, Sérvia, Costa Rica, Equador, Uganda, Colômbia, Taiwan e Israel.

Estes são alguns dos resultados de um inquérito — o Expat Insider 2018 — realizado pela InterNations, uma comunidade online que agrega residentes estrangeiros (“com poder de compra e qualificações elevadas”) nos cinco continentes e que, este ano, contou com a resposta de 18 mil pessoas de 178 nacionalidades e que vivem em 187 países ou territórios de um país.

Com base nestes dados, a InterNations revelou um ranking dos destinos onde é mais fácil e mais difícil fazer amigos enquanto expatriado. Os participantes foram convidados a avaliar até 48 aspectos da sua vida, numa escala de um a sete. O processo de classificação enfatizou a satisfação pessoal dos entrevistados e conjugou tanto aspectos emocionais como pontos mais factuais. No fim, o relatório teve em conta tópicos como a qualidade de vida, a facilidade em estabelecer-se, o trabalho num país estrangeiro, a vida familiar, as finanças pessoais e o custo de vida.

Portugal ocupa o décimo lugar quando se fala de países onde é mais fácil conhecer pessoas novas e criar amizades. Perto de dois terços dos expatriados (64%) acham fácil fazer amigos locais no país (contra 45% em termos globais) e 75% dizem que, no geral, fazer novos amigos é fácil (contra 57% dos dados globais).

“Os portugueses são incrivelmente simpáticos e acolhedores e é muito fácil adaptar-se à vida aqui”, refere, à InterNations, um cidadão britânico a viver em Portugal. De facto, 82% dos imigrantes dizem sentir-se em casa na cultura portuguesa. “O que pode ajudar é o facto de os portugueses parecerem ser extremamente receptivos aos expatriados: quase nove em cada dez entrevistados acham que a atitude em relação aos residentes estrangeiros é amistosa, com mais de metade (52%) a referir que a atitude dos residentes locais não poderia ser mais amigável”, aponta o relatório.

Os expatriados elegeram Portugal, não só como um dos países onde é mais fácil fazer amigos, mas, também, como um dos que tem a melhor qualidade de vida. Na categoria “melhores países para expatriados em 2018”, que corresponde ao ranking geral da pesquisa do Expat Insider, Portugal está em sexto lugar, logo a seguir a Bahrein, Taiwan, Equador, México e Singapura. Depois de Portugal, mas ainda no top 10, ficaram a Costa Rica, Espanha, Colômbia e República Checa. Em 2017, Portugal estava em quinto no índice geral e em primeiro quando se falava em qualidade de vida.

Na base do ranking dos países onde é mais difícil fazer amigos enquanto cidadãos estrangeiros estão o Kuwait, a Suécia, a Dinamarca, a Suíça, a Arábia Saudita, a Alemanha, a Noruega, a Finlândia, a Áustria e a Estónia.

“Estes resultados destacam a impacto positivo que uma boa rede de amigos pode ter para pessoas que vão viver para o estrangeiro: os expatriados que vivem em nove dos dez melhores países não só acham mais fácil fazer amigos como também são substancialmente mais felizes do que a média global dos países”, lê-se nas conclusões do relatório.

A InterNations tem, hoje em dia, mais de três milhões de utilizadores, organizados por 420 comunidades em todo o mundo. Além de rede social, é também o local onde muitos encontram informação prática para se estabeleceram numa nova cidade. Portugal tem cerca de 26 mil membros InterNations, divididos por três comunidades: Lisboa, Porto e Cascais.