Pelo menos sete carros foram incendiados durante a noite em Lisboa

Viaturas ficaram destruídas depois de vários focos de incêndio nos bairros da Mouraria e do Castelo, em Lisboa.

Fotogaleria
Sebastião Almeida
Fotogaleria
Sebastião Almeida
Fotogaleria
Sebastião Almeida

Pelo menos sete carros foram incendiados esta madrugada nos bairros da Mouraria e do Castelo, em Lisboa, disse ao PÚBLICO fonte do Regimento de Sapadores Bombeiros.

O primeiro alerta foi recebido por volta da 1h da madrugada pelo Regimento de Sapadores Bombeiros para “dois pequenos focos de incêndio” na Rua Marquês de Ponte de Lima, disse fonte dos bombeiros ao PÚBLICO no local. À 1h23 foi registada outra ocorrência, dando conta de “três carros em chamas” na Costa do Castelo e, à 1h39, os bombeiros foram chamados à Calçadinha do Tijolo, onde estavam dois carros incendiados, adiantou a mesma fonte.

Natércia Matos, proprietária de um estabelecimento na Rua das Escolas Gerais, afirma que à meia-noite “ainda não havia vandalismo”. Esta quarta-feira, quando acordou, deparou-se com um cenário tenebroso junto ao Largo de Santa Marinha. “O prédio estalou todo”, descreve. “Parece um filme de terror. Até me arrepiei”, acrescenta. 

PÚBLICO -
Foto
Sebastião Almeida

Cristina Reis, de 50 anos, é moradora no prédio afectado pelo fogo no Largo de Santa Marinha. Acordou durante a noite com a explosão provocada pelo fogo. A moradora acredita que se tratou de “vandalismo puro”. “Não percebo qual foi o sentido disto”, lamenta. O rés-do-chão, onde vive, ficou com as janelas partidas, apesar de o fogo não ter alastrado para o interior da habitação. O tecto ficou derretido e a casa cheia de fumo. Cristina aguarda agora que seja levada a cabo uma perícia pela seguradora para averiguar o sucedido. 

No prédio, habitam três famílias, e uma das casas é utilizada como alojamento local. Não houve registo de feridos decorrentes dos incêndios que marcaram a madrugada desta quarta-feira. 

Estiveram no local elementos da Polícia Judiciária e da Protecção Civil já na manhã de quarta-feira. A PJ está a investigar os acontecimentos, acreditando tratar-se de vandalismo.