MotoGP: Protesto recusado e Miguel Oliveira mantém-se fora dos pontos

Em causa estava o apêndice utilizado junto à roda traseira das motos de Dovizioso, do britânico Jack Miller e do italiano Danilo Petrucci.

A vitória de Dovizioso, no Qatar, esteve em causa.
Foto
A vitória de Dovizioso, no Qatar, esteve em causa. Reuters/IBRAHEEM AL OMARI

A Federação Internacional de Motociclismo (FIM) confirmou, nesta quarta-feira, a vitória do italiano Andrea Dovizioso (Ducati) no Grande Prémio do Qatar de MotoGP, rejeitando o protesto apresentado por Suzuki, Honda, KTM e Aprilia. Por extensão, o português Miguel Oliveira mantém o 17.º lugar conquistado em pista, perdendo a possibilidade de subir à 14.ª posição e somar os dois primeiros pontos no MotoGP.

Em causa estava o apêndice utilizado junto à roda traseira das motos de Dovizioso, do britânico Jack Miller e do italiano Danilo Petrucci. Em comunicado, a FIM declarou que “o pedido para que o referido apêndice seja considerado ilegal é rejeitado” e “os resultados provisórios da corrida ficam confirmados e declarados oficiais”.

As equipas contestatárias têm, agora, cinco dias para recorrer da decisão para o Tribunal Arbitral de Desporto.