Editor de Política do Expresso pede a demissão

Conselho de Redacção reúne-se esta quinta-feira para debater a situação.

Foto
Vítor Matos DR

O jornalista Vítor Matos apresentou a sua demissão de editor de Política do Expresso, cargo que ocupava há um ano. Até ao momento, a demissão não foi aceite pelo director do jornal Pedro Santos Guerreiro. Em causa está o facto de, numa das edições da newsletter diária que o semanário publica, o nome de Vítor Matos ter aparecido a assinar um texto que não produziu. 

Tudo se passou na segunda-feira de manhã. Segundo a escala interna do jornal, era a vez de Vítor Matos escrever a newsletter. O jornalista – que se encontrava de viagem para o Porto em trabalho – esqueceu-se. Pedro Santos Guerreiro atribuiu o trabalho de produzir a newsletter a outros jornalistas, mas decidiu que ela seria assinada por Vítor Matos. Foi depois de ver publicado um texto com o seu nome e fotografia, no qual não tinha participado, que o editor de Política decidiu apresentar a demissão.

O Conselho de Redacção do Expresso reúne-se esta quinta-feira de manhã para analisar a situação. 

Contactados pelo PÚBLICO, Vítor Matos e Pedro Santos Guerreiro não quiseram prestar declarações.

Vítor Matos, 45 anos, foi editor de política do Observador antes de, há cerca de um ano, ter assumido as mesmas funções no Expresso. É autor da primeira biografia do Presidente da República, publicada antes das eleições e chamada simplesmente Marcelo Rebelo de Sousa. Escreveu também Os Predadores.