Biblioteca Pública de Évora fecha parcialmente para obras

Um ano é o tempo estimado para a requalificação da biblioteca bicentenária, que não sofria obras há 80 anos.

Foto
AP/ANTONIO CARRAPATO

A bicentenária Biblioteca Pública de Évora (BPE) vai fechar parcialmente durante um ano, a partir de Abril, para obras de requalificação no interior do edifício, num investimento de quase meio milhão de euros.

“Será um transtorno para quem utiliza diariamente a BPE, tentámos reduzir ao mínimo o impacto que este encerramento podia ter”, mas é “uma necessidade urgente”, porque o edifício “não tinha obras há 80 anos”, afirmou esta terça-feira a directora, Zélia Parreira.

Segundo a responsável, os trabalhos, cujo concurso vai ser lançado “nos próximos dias”, arrancam em Junho e incluem “obras de conservação no interior do edifício e substituição da estrutura eléctrica, canalizações e da rede informática”.

“Não haverá grandes alterações” no aspecto geral do edifício, assinalou, indicando que “a única zona que vai sofrer uma reabilitação considerável e que vai mudar de aspecto são as casas de banho, porque foram construídas há 80 anos”, referiu.

A intervenção, indicou Zélia Parreira, vai seguir-se a uma outra iniciada em Junho de 2018 e já concluída, que envolveu “a substituição integral do telhado, portas e janelas e a requalificação das fachadas”.

A directora da BPE adiantou que está também prevista a desinfestação de todo o edifício, que tem soalho e estantes em madeira, que considerou ser “uma fase bastante complicada” para a “conservação das colecções”.

“Vamos fechar com dois meses de antecedência, porque precisamos de empacotar tudo o que está no primeiro piso e, numa segunda fase, o que está no rés-do-chão para a obra se poder realizar. Estamos a falar de 500 mil a 600 mil livros”, notou.

A responsável revelou ainda que, para já, enquanto não estiverem em obras, vão ficar “dois espaços em funcionamento”, um dos quais, o serviço de reservados, para dar resposta a quem precisa de consultar a documentação da BPE para teses e investigações.

“Vamos também tentar manter uma espécie de modalidade de empréstimo domiciliário”, em que as pessoas “podem percorrer o catálogo, fazer reservas online, por email ou por telefone e levantar e entregar os livros na portaria”, acrescentou.

Contudo, Zélia Parreira sublinhou que os dois espaços em funcionamento “terão também de sofrer obras” e, nessa altura, serão transferidos para outro espaço fora do edifício da BPE, que ainda está por definir.

A empreitada, com um prazo de execução de seis meses, implica um investimento “entre 400 mil a 500 mil euros”, que provém “integralmente do orçamento da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP)”, destacou.

“Estamos a prever um prazo alargado de um ano” para a preparação e execução das obras, mas “se for possível”, o período de encerramento da BPE será “mais reduzido”, concluiu.

Criada há mais de 200 anos por Frei Manuel do Cenáculo, a Biblioteca Pública de Évora, tutelada pela BNP, é beneficiária do Depósito Legal desde 1931.

O espólio da BPE, com espécies raras e únicas no mundo, inclui 664 incunábulos e 6.445 livros impressos do século XVI, além de vários núcleos de documentos manuscritos, de cartografia, música impressa e centenas de títulos de publicações periódicas.