Perguntas e respostas: como vai funcionar o passe único da Área Metropolitana de Lisboa?

Os novos passes Navegante Municipal e Navegante Metropolitano entram em vigor no início de Abril, mas ainda há dúvidas sobre o que vai mudar.

Foto
Miguel Feraso Cabral

Há novos passes? Quanto custam?

Sim, a partir de Abril passam a existir novas modalidades de passe na Área Metropolitana de Lisboa. Chamam-se Navegante Municipal e Navegante Metropolitano e têm um preço fixo de 30 euros e 40 euros respectivamente.

  • Com o Navegante Municipal (30 euros), passa a poder circular em todos os transportes dentro de um município;
  • Com o Navegante Metropolitano (40 euros), pode andar em todos os transportes da área metropolitana, isto é, nos municípios de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

Quanto aos passes sociais que custam menos de 40 euros, vão continuar a esse preço. 

Como faço para aderir aos novos passes?

Não tem de fazer nada. Quando carregar o passe, já será com o novo título. 

Quando entram em vigor? Quando começam a ser vendidos? Onde posso comprar?

Os novos passes começam a ser vendidos no dia 26 de Março, e serão válidos desde o primeiro dia de Abril até ao último. Pode carregá-lo nas máquinas multibanco e nas bilheteiras dos operadores.

Qual é a validade do novo passe?

O passe será valido de mês a mês e não por 30 dias, como até agora. Isto é: compra o passe para o mês de Abril e não para os próximos 30 dias. Portanto, passa a ter de carregar o passe nos primeiros dias do mês.

E se o meu passe acabar a meio de Abril?

Foi criado um passe com o custo de dez euros e validade de sete dias para assegurar esse período de transição. Este passe temporário tem um âmbito geográfico equivalente ao do passe Navegante Metropolitano. Estão disponíveis a partir do dia 8 de Abril de 2019 e até ao final desse mês.

E se acabar a meio de Março?

Pode comprar o passe de 30 dias, que irá terminar em meados de Abril. A seguir, aplica-se a mesma lógica da pergunta anterior.

É preciso fazer um cartão novo?

Depende. Quem já tem o cartão Lisboa Viva não tem de fazer nada. Este cartão passa a ser único e vem substituir os passes locais. Quem ainda não tem o cartão Lisboa Viva deve pedi-lo – mas apresse-se porque a emissão pode demorar até dez dias úteis.

Há passes para crianças?

Sim. Os jovens até aos 13 anos não pagam – algo que já acontece em Lisboa e que agora vai ser alargado a toda a área metropolitana. Quem já tiver o passe Viva 4_18 (que é válido entre os quatro e os 18 anos), e puder usufruir do passe gratuito até aos 13 anos, deve dirigir-se a um balcão de atendimento para fazer a alteração do perfil do cartão. 

Continua a haver passes para maiores de 65 anos?

As pessoas com mais de 65 anos também vão pagar 20 euros pelo passe para a área metropolitana e o passe que permite que os reformados circulem nos transportes em Lisboa continua a custar 15 euros.

PÚBLICO -
Foto
Rui Gaudêncio

E passes para estudantes?

Sim. Os passes Viva 4_18 (para jovens até aos 18 anos, estudantes do básico e do secundário) e Sub_23 (para estudantes do Ensino Superior até aos 23 anos) continuam activos. Os descontos são de 60% para os beneficiários de Acção Social e 25% para todos os outros e o valor é aplicado sobre o novo preço.

Há alguma modalidade para famílias?

Será criado um passe familiar, um agregador de todos os cartões da família. O preço limite para qualquer agregado familiar, independentemente do número de pessoas, ficará tabelado nos 60 euros para transportes dentro do mesmo município e 80 euros para toda a área metropolitana. 

Quando entra em vigor o passe família?

Carlos Humberto de Carvalho, primeiro-secretário da Área Metropolitana de Lisboa,​ admitia, no início de Março, que esta é uma das questões mais desafiantes do ponto de vista técnico. “Há muitas coisas que é preciso ter em conta e precisamos da cooperação de várias entidades do Estado central se não as pessoas têm de andar com vários papéis atrás. O passe família é o que é tecnologicamente mais difícil.” Por isso, o seu lançamento ficou adiado para Julho.

Com o aumento esperado da procura, vai haver reforço dos transportes?

Não está previsto nenhum reforço dos transportes. Sabe-se a que frota da Transtejo deverá ser reforçada, ainda que a primeira entrega de navios só esteja prevista para 2021, e que o reforço da oferta faz parte da estratégia definida por Fernando Medina, presidente a Área Metropolitana de Lisboa.

Como surgiu a ideia?

Em Setembro de 2018, Fernando Medina dava uma entrevista ao Expresso onde propunha uma alteração no preço dos passes – que, de acordo com o presidente da Câmara de Lisboa, não deveria ultrapassar os 40 euros para quem vem dos outros concelhos da Área Metropolitana de Lisboa. 

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, fez questão de pôr os pontos nos ii: “Esta ideia nasce a partir das áreas metropolitanas, numa cimeira com o Governo, o ano passado, e foi mesmo construída por nós e em conjunto.”

“A ideia é tão boa que logo muitos a quiseram por sua, fundando a sua génese num vago desejo um dia formulado. Um bocado como o invariável desejo das candidatas a misse: a paz no mundo. Não creio que, quando houver paz no mundo, alguém vá agradecer às misses o seu empenho”, comentou. 


Saiba mais: