Possível fusão de bancos alemães anima bolsas europeias

Anúncio de fusão entre Deutsche Bank e Commerzbank fará nascer o terceiro maior banco europeu. Acções seguem em alta.

Foto
Reuters/Kai Pfaffenbach

As acções dos bancos alemães Deutsche Bank e Commerzbank estão a negociar com fortes subidas esta segunda-feira, depois de terem anunciado que vão dar início a negociações formais com vista à sua eventual fusão. Ao final da manhã desta segunda-feira, as acções do Deutsche Bank cotavam no DAX 30 de Frankfurt com valorizações próximas dos 4%, enquanto as do Commerzbank negociavam a valorizar 8,4%.

As duas instituições estão a contagiar todo o sector da banca na Europa. Em Madrid, e apesar de o IBEX 30 não subir mais do 0,8%, o CaixaBank, que detém o português BPI,  sobe 4,47%; o Santander valoriza 1,52%. Em França, o Crédit Agricole sobe 3,04%, a Societé Generale 2,6% e o BNP Paribas 2,52%. Na praça portuguesa, que actualmente tem apenas o BCP a cotar no PSI 20, a valorização fica-se pelos 1,53%. 

O Deutsche Bank e o Commerzbank confirmaram no domingo que estão em negociações com vista a uma eventual fusão.

Segundo a agência financeira Bloomberg, a operação poderá dar origem ao terceiro maior banco da Europa, depois do HSBC e do BNP Paribas, com cerca de 1,8 mil milhões de euros em activos e um valor de mercado de cerca de 25 mil milhões de euros.

Esta não é a primeira vez que os dois bancos tentam uma fusão. Já em 2016 foram encetadas negociações que terminaram sem acordo, o que acabou por obrigar as duas instituições a reestruturar a sua actividade. Agora, com a economia a dar sinais de abrandamento e a decisão do Banco Central Europeu de adiar a primeira subida das taxas de juros, as duas instituições acabam por ver a sua rentabilidade ameaçada, tornando mais urgente uma eventual fusão.