Arranque forte de Bottas arrasa concorrência na Austrália

O actual campeão, Lewis Hamilton, foi alcançado logo depois da primeira curva e terminou em segundo lugar na primeira corrida da época.

Fotogaleria
Reuters/STRINGER
Fotogaleria
EPA/DIEGO AZUBEL
Fotogaleria
EPA/JULIAN SMITH
Fotogaleria
Reuters/STRINGER
Fotogaleria
EPA/DIEGO AZUBEL
Fotogaleria
EPA/JULIAN SMITH
Fotogaleria
EPA/DIEGO AZUBEL
Fotogaleria
EPA/JAMES ROSS

Depois de algumas prestações menos conseguidas na última temporada - e de ser “obrigado” pela Mercedes a ceder a liderança a Hamilton na Rússia -, Valtteri Bottas voltou a sorrir. O finlandês dominou e venceu o Grande Prémio da Austrália, tornando-se o primeiro líder do Mundial de Fórmula 1 com 26 pontos: 25 da corrida, mais um  por ter registado a volta mais rápida da prova. 

Bottas dominou a corrida desde o momento inicial, ultrapassando o colega de equipa Lewis Hamilton na primeira curva e deixando para trás a restante concorrência. Verstappen, da Red Bull, ficou em terceiro, com os homens da Ferrari afastados do pódio, na quarta e quinta posições.

“A quem isto possa interessar: fuck you!”. Foi desta forma que o piloto finlandês se expressou na rádio da equipa, logo após ter cruzado a meta em Melbourne. Depois, mais a frio, elogiou a prestação do monolugar da construtora alemã, mostrando-se surpreendido com a excelente prestação: “No início era para gerir a corrida e alargar a vantagem. Ao fim de sete voltas a margem foi-se dilatando. Depois, era estar ao meu melhor nível com o carro. Quando estás inspirado, torna-se fácil”.

Apesar da felicidade do finlandês, nem todos ficaram contentes na Mercedes: Lewis Hamilton, que começou a corrida no primeiro lugar da grelha, não escondeu o desagrado no final da corrida, admitindo, porém, a superioridade do colega de equipa: “Foi um grande fim-de-semana para a equipa. Ele [Bottas] fez uma corrida incrível e um bom arranque. Tive um bom fim-de-semana até ao momento da partida”.

O arranque muito rápido de Valtteri Bottas arrumou as dúvidas de quem seria o provável vencedor na Austrália, que teria registado um início sem incidentes caso Daniel Ricciardo e Robert Kubica não tivessem perdido as asas dianteiras. O piloto australiano foi apertado por Sergio Pérez, da Racing Point, logo na recta da meta. Forçado a ir para a relva, danificou a asa dianteira e foi obrigado a parar nas boxes. Os problemas no carro acabariam por não ser  solucionados, obrigando Ricciardo a abandonar na 31.ª volta. 

A grande derrotada na Austrália foi a Ferrari, que falhou o pódio. Sebastian Vettel começou a corrida no terceiro posto, mas foi incapaz de segurar os esforços de Max Verstappen, especialmente depois de o holandês ter colocado um conjunto de pneus mais macios. Na 31.ª volta, com o auxílio do DRS, o jovem de 21 anos consumou a ultrapassagem ao piloto alemão. O ritmo dos carros da Ferrari deverá, certamente, ser motivo de preocupação: a, praticamente, um minuto de Bottas, Charles Leclerc ficou-se pela quinta posição.

A Red Bull deixou boas indicações com o desempenho de Max Verstappen e Lando Norris, estreante da McLaren, também, com um impressionante 12.º lugar.