João Félix: “As ideias anteriores não estavam a resultar por razões que desconhecemos”

Estrela do Benfica diz que não percebe nada de mercado ou valores e considera "um disparate" algum clube pagar os 120 milhões de euros da sua cláusula de rescisão. João Félix deixa elogios a Bruno Lage e admite que as ideias de Rui Vitória "não estavam a resultar".

Fotogaleria
MIGUEL A. LOPES
João Félix na partida diante do Belenenses SAD (2-2)
Fotogaleria
João Félix na partida diante do Belenenses SAD (2-2) LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

Tímido, mas divertido quando se sente à vontade, e fã de Kaká e Rui Costa. A viver um momento feliz em campo na equipa principal do Benfica e a primeira chamada à selecção A, João Félix falou com o diário desportivo espanhol Marca para uma entrevista publicada este domingo. O jovem jogador de 19 anos dos “encarnados” realçou o bom momento da equipa com Bruno Lage, a felicidade de jogar e a vontade levar a melhor ao FC Porto na luta pelo título nacional. Para o futuro, Félix pretende continuar a ajudar o Benfica onde se sente mais à vontade, a segundo avançado, e quer melhorar o físico para acrescentá-lo à melhor qualidade que diz ter: a inteligência.

Neste novo mundo do futebol profissional de elevada exigência, o jogador diz que não se tem sentido pressionado, mas assume sentir “a responsabilidade” em relação a aqueles que o “vêem como exemplo”. “Tento fazer o melhor possível para que me continuem a ver assim. Inicialmente era difícil lidar, mas tive a ajuda de algumas pessoas para gerir melhor com a fama. Agora mandam-me parar muito mais vezes na rua”, confessa João Félix.

Assumindo que prefere ganhar o campeonato em vez da Liga Europa, o jogador foi questionado sobre o sentimento de marcar ao FC Porto no Estádio do Dragão. “É difícil explicar o que senti. Procurava esse momento e foi muito especial para mim e para os meus pais, mas não foi o golo mais especial até agora”, assume o jovem futebolista. Sobre o festejo de joelhos no Dragão, João Félix explicou que foi uma referência à estrela em ascensão no Paris Saint-Germain, Kyllian Mbappé, o jogador que gosta mais de ver actualmente: “Gosto da sua celebração e pensei que era o melhor momento para fazê-la.”

PÚBLICO -
Foto

“Em alguns momentos da temporada pensávamos que era quase impossível [alcançar o FC Porto na Liga], mas agora conquistámos pontos e agora somos líderes. Vem agora o mais difícil: manter esse primeiro lugar”, aponta João Félix.

Sobre o FC Porto, os espanhóis procuram saber mais sobre Éder Militão, que chega ao Real Madrid na próxima temporada. "Central muito bom. Rápido, técnico, forte, sempre bem colocado. É esses jogadores que gostamos de enfrentar porque significa que são as melhores equipas”, disse João Félix, que não quis entrar na discussão entre merengues e Barcelona, que podem estar atentos ao seu trabalho e saberão da sua cláusula de rescisão no valor de 120 milhões de euros. “São duas das melhores equipas do mundo, que sigo desde pequeno. Mas agora quero mesmo estar aqui, sinto-me bem no Benfica. Só me limito a jogar. Não percebo de mercado, nem de valores”, disse, considerando ainda o eventual pagamento do valor da cláusula de rescisão “um disparate”.

Com a chamada à selecção A para os jogos de qualificação ao Euro 2020, frente à Ucrânia e à Sérvia, João Félix só pensa em dar bons indicadores para continuar a ser chamado por Fernando Santos e marcar presença na Liga das Nações. O jogador do Benfica considera o novo torneio, com final four a acontecer em Portugal, a “competição absoluta de selecções” onde prefere jogar em vez do Mundial de sub-20, que decorre este Verão, na Polónia. No entanto, Félix diz que joga para onde for chamado.

O aviso de quem o conhece tão bem: Bruno Lage

A treinar João Félix desde as camadas jovens, o actual treinador da equipa principal do Benfica falou no sábado sobre a atenção mediática em torno o jovem jogador e respondeu sobre o facto de este ter começado no banco frente ao Dínamo Zagreb, na 2ª mão dos “oitavos” da Liga Europa, na Luz. “É apenas a gestão de esforço: passar de cinco, seis meses sem jogar 90 minutos e passar a jogar 90 minutos... Mas mais importante do que isso, são as diferenças entre o facto de ter dois ou três dias de descanso entre jogos. Ainda levando em consideração que o João não tinha minutos em grande parte da época. Sentimos que ele poderia ser mais útil, se fosse necessário, a entrar, e não o castigar em termos de minutos, porque tem feito um percurso interessante nestes últimos meses”, explicou Bruno Lage na antevisão ao jogo deste domingo frente ao Moreirense.

Bruno Lage admitiu que João Félix tem de se habituar ao facto de às vezes “o normal não chegar”, porque “começa a fazer coisas extraordinárias”. “É um miúdo fantástico, humilde e vai ter de ter essa noção. Fez coisas tão boas e fantásticas. E vocês começaram a compará-lo ao Cristiano Ronaldo. Ele é apenas o João Félix. Vejo um miúdo que se diverte imenso a jogar com o estádio cheio e com esta equipa que o apoia. Ele tem de perceber rapidamente que não basta fazer o normal: tem de estar a top”, explicou.

Lage comentou ainda chamada de Félix à selecção: “É a consequência do trabalho e do que o seleccionador tem feito. Não olhou apenas para estes dois ou três jogos, mas para o percurso do João no Benfica e nas selecções”.

Na mesma entrevista à Marca, João Félix retribuiu o elogio: “Bruno Lage trouxe outra motivação e ideias porque as anteriores não estavam a dar resultado por razões que desconhecemos. Estas novas ideias estão a resultar e estamos contentes.”