Meia Maratona de Lisboa condiciona trânsito este fim-de-semana

As vias que ligam Algés ao Cais do Sodré estarão temporariamente cortadas, tal como a Ponte 25 de Abril, já a partir da noite deste sábado.

Foto
Nuno Ferreira Santos

As provas desportivas da 29.ª Meia Maratona Internacional de Lisboa, que se realizam este fim-de-semana, provocarão fortes condicionamentos no trânsito a partir deste sábado.

No sábado:

A partir das 9h30 realiza-se a “Corrida Luso 7k”, encerrando a circulação na Avenida da Índia, entre a Praça D. Manuel I e a Estação de Belém. O trânsito terá o acesso cortado desde Avenida da Índia até à Avenida Brasília pelo Viaduto de Pedrouços, mas estará a circular de forma condicionada em direcção a Algés, à CRIL e à Avenida Vasco da Gama. A autarquia lembra que a zona da Praça do Império estará também condicionada.

Duas horas depois começa a “Corrida Avós e Netos”, que vai condicionar o trânsito na Avenida Brasília e os acessos aos viadutos de Alcântara e Avenida Infante Santo, até ao fim da prova. O acesso rodoviário à Estação Fluvial de Belém será encerrado e o acesso à Vela Latina, Torre de Belém e Padrão dos Descobrimentos será efectuado pelo lado do Viaduto de Pedrouços.

Da parte da tarde, às 16h, tem início a “Corrida EDP-Mini Campeões”, que vai condicionar a circulação na zona da Estação Fluvial de Belém, com condicionamento parcial da Avenida Brasília, sem haver interrupção total da circulação. A Câmara Municipal de Lisboa garante que os acessos à Estação Fluvial de Belém e ao estacionamento vão estar abertos.

No domingo:

Durante a noite, logo a partir das 23h de sábado, vai ser encerrada a circulação rodoviária entre o Viaduto Metálico de Alcântara e a Avenida da Torre de Belém, e a partir das 4h de domingo começarão os condicionamentos na Ponte 25 de Abril, onde os acessos serão cortados, totalmente, a partir das 09h15.

Durante a manhã decorrem a 29.ª Meia Maratona Internacional de Lisboa, a Meia Maratona – Elite e a Mini-Maratona. A autarquia informa que, durante estas provas, a Avenida da Índia vai manter-se condicionada até às 17h. Está garantida a circulação no Cais do Sodré e na Rua do Arsenal. Haverá condicionamento de trânsito na Avenida Infante D. Henrique, junto ao Campo das Cebolas.

De acordo com a Câmara Municipal de Lisboa, as alterações à circulação do trânsito serão coordenadas pelas autoridades policiais.

Meia maratona de Lisboa tem todas as condições para “ser fantástica"

O presidente do Maratona Clube de Portugal considerou que estão reunidas todas as condições para uma prova “fantástica” na 29.ª edição da meia maratona de Lisboa, onde acredita na possibilidade de um novo recorde mundial.

“Queremos recuperar o recorde do mundo, o tempo está melhor do que no ano passado, temos uma elite de luxo e, por isso, e estão reunidas todas para uma prova fantástica”, disse Carlos Móia esta semana, na apresentação da prova.

Com as inscrições esgotadas há cerca de uma semana, Móia destacou a presença de 47 atletas “de nível mundial”, dos quais 30 homens e 17 mulheres, candidatos aos cheques de 50 mil euros, que serão entregues a quem conseguir estabelecer novos recordes mundiais, no sector feminino ou masculino.

Lisboa “perdeu”, em Outubro de 2018, o recorde do mundo da distância no sector masculino, depois de o queniano Abraham Kiptum ter corrido a meia maratona de Valência em 58,18 minutos, fazendo cair o anterior máximo, de 58,23, estabelecido pelo eritreu Zersenay Tadese na capital portuguesa, em 2010.

Com passagem na Ponte 25 de Abril, a meia maratona de Lisboa conta com 15 mil atletas inscritos, entre os quais 7.500 estrangeiros, oriundos de 90 países.

Carlos Móia considera que estes números provam a “importância cada vez maior da prova no estrangeiro” e admitiu o desejo de a integrar na categoria diamante, que em breve será atribuída pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), superior à de ouro, que a “meia” de Lisboa já possui.

Na lista de inscritos para a prova masculina figuram o queniano Erick Kiptanui, vencedor em 2018, e outros seis atletas com marcas abaixo dos 60 minutos, entre os quais os, também quenianos, Bernard Kiprop Koech e Solomon Kirwa Yego, vencedor da meia maratona de Milão.

Entre os portugueses, vão marcar presença Hermano Ferreira, que já foi, várias vezes, o melhor português na competição, Ricardo Ribas e Rui Teixeira, que no fim-de-semana passado se sagrou campeão português de corta-mato.

Em femininos, destaque para a queniana Vivian Cheruyiot, campeã olímpica da distância no Rio de Janeiro em 2016, e segunda classificada na meia maratona de Lisboa em 2017.

Na elite portuguesa para a prova destacam-se as presenças de atletas olímpicas Sara Moreira, Dulce Félix e Jéssica Augusto.

Além da meia maratona, vão disputar-se a mini-maratona, o passeio da família e a prova mini campeões, que no total mobilizarão 35.000 participantes.

Na edição deste ano, a organização apostou em boas práticas ambientais, plantando 35.000 árvores, em parceria com uma marca de água, reforçando a recolhas e reciclagem de garrafas e utilizando materiais de divulgação 100% recicláveis.

Sugerir correcção