Agüero ressuscitou o Manchester City na Taça

Equipa de Guardiola esteve a perder 2-0 mas deu a volta ao resultado.

Bernardo Silva e Sergio Aguero evitaram a eliminação
Foto
Bernardo Silva e Sergio Aguero evitaram a eliminação Reuters/JOHN SIBLEY

A eliminação do Manchester City nos quartos-de-final da Taça de Inglaterra esteve muito perto de acontecer, mas uma reviravolta da equipa de Pep Guardiola evitou a despedida precoce da competição. Na visita ao Swansea City, do segundo escalão do futebol inglês, os “citizens” fizeram uma má primeira parte e foram para o intervalo a perder por 2-0. Mas, no segundo tempo, deram a volta ao marcador e apuraram-se para as meias-finais.

Não houve propriamente poupanças no Manchester City, mas as coisas estiveram longe de sair bem à equipa de Pep Guardiola nos primeiros 45 minutos da visita ao Swansea. Os galeses colocaram-se em vantagem no marcador aos 20’, num penálti de Grimes a castigar falta de Delph, e ampliaram a vantagem aos 29’, num contra-ataque irrepreensível. Nathan Dyer fez o passe para Celina finalizar com um excelente remate.

O Manchester City ameaçou a baliza do Swansea num par de vezes, mas esbarrou na inspiração do guarda-redes Nordfeldt e na solidariedade dos defesas, como foi o caso aos 35’, com Roberts a cortar, sobre a linha de golo, o remate de David Silva.

Só que as coisas iriam mudar na segunda parte, nomeadamente com a entrada de Agüero (aos 64’, para o lugar do desinspirado Mahrez). O argentino agitou o ataque dos “citizens” e deu o mote para a reviravolta. Após cinco minutos em campo, rematou contra um adversário, com o ressalto a sobrar para o português Bernardo Silva, que de pé esquerdo disparou cruzado para o golo.

Empolgado, o Manchester City partiu para cima do adversário e o assédio à baliza do Swansea deu resultados. Agüero restabeleceu a igualdade aos 78’, de penálti por falta sobre Sterling (o lance deixa dúvidas) – a bola bateu no poste e nas pernas do guarda-redes antes de entrar.

E, a dois minutos do fim do tempo regulamentar, consumou-se a reviravolta com o “bis” de Agüero. De cabeça (ficam algumas dúvidas relativamente à posição do argentino, que parecia adiantado), a corresponder ao cruzamento de Bernardo Silva na esquerda, fez o 2-3.