Opinião

Cartas ao director

Jovens pelo clima

Jovens empenhados na luta contra o aquecimento global. Muito positivo. Reivindicar políticas de defesa do clima, um protesto inspirado pela adolescente sueca Greta Thunberg, sairá hoje às ruas em vários países e Portugal não será excepção. Simplesmente “pedem” medidas urgentes contras as alterações climáticas, nesta Greve Climática Estudantil. Os “nossos” jovens estudantes pretendem que o Governo encare o tema do aquecimento global “como uma crise”, e que se acabe com as explorações de combustíveis fósseis em Portugal e se expandam as energias renováveis.

Estar a “sentir” os jovens de tantos países a “deixar” de lado o “individualismo" que exubera neste tempos e a “lutarem” pela defesa de uma grande causa é excelente. Fazer com que os jovens se politizem – sem ser às ordens dos velhadas da política - e saibam defender sua cidadania é crucial. Algo tão objectivo, neste tempos em que imaginamos os nossos jovens adolescentes exclusivamente agarrados aos telemóveis, a defenderem o futuro do planeta, é excelente. É muito verdadeiro e deve ser bem “apreendido, recebido e melhor apoiado”. Felicitações a estes jovens, por terem agarrado uma causa, por a defenderem civilizadamente, por terem ideias. Não parem, por favor.

Augusto Küttner de Magalhães, Porto

Carlos Costa

Carlos Costa falou sobre os créditos excessivos que as pessoas vão arranjando até atingirem a desgraça final mas Carlos Costa não falou, nem nunca fala, sobre a falta de controlo que ele, governador do Banco de Portugal, tem sobre os bancos. Na realidade os bancos não seguem os seus conselhos no tocante às concessões de crédito e ele nada faz. Carlos Costa só se mantém no Banco de Portugal porque o PS quer. É oportunista e demagogo e só por isso se tem mantido na crista da onda. Que não é isento já todos sabemos. Esperemos que isso venha ao de cima para que todos saibamos quem é um dos responsáveis pelas “desgraças” do BES e do Novo Banco. Esperemos igualmente que depois disso se faça justiça e Carlos Costa pague a dívida que tem para com a sociedade portuguesa.

Manuel Morato Gomes, Senhora da Hora

Última página

Os jornais cada vez mais têm dificuldade em sobreviver, é um facto. O PÚBLICO, jornal diário de referência tem um bom corpo de articulistas, e sem desprimor para todos os outros, especialmente os que escrevem na última página. Têm tido erros frequentes, embora com o mérito de rectificar no dia seguinte. Têm alguma falhas de informação, especialmente sobre desporto em geral e em especial o futebol que, quer queiramos quer não, está-se a tornar uma actividade supra-nacional dado os milhões que envolve, quase tão importante como os grandes problemas em que o mundo está envolvido! Mas tem um valor incalculável na última página onde todos os dias o Bartoon de Luís Afonso, em quatro bonecos, trata de importantes assuntos, alguns de grande relevância, com graça, mantendo no entanto a sua importância. Sabe bem, no meio das desgraças de vária ordem que temos de enfrentar possuirmos um meio simples de desanuviar.

Carlos Leal, Lisboa