Marc Jacobs copiou Nirvana? O designer refugia-se num pormenor técnico

Designer norte-americano defende que não violou os direitos de autor, afirmando que a colecção com um desenho semelhante ao logótipo dos Nirvana não é uma réplica.

Foto

No início de Janeiro, a Nirvana LLC, entidade que representa a banda fundada por Kurt Cobain, processou Marc Jacobs por infracção de direitos de autor, alegando que o designer tinha copiado o logótipo dos Nirvana, que tem uma cara sorridente amarela. A marca de moda norte-americana está agora a tentar arquivar o processo, insistindo que não violou a lei dos direitos de autor.

As peças em questão fazem parte da colecção “Redux Grunge”, lançada em Novembro de 2018. É uma reprodução da colecção com inspiração grundge que o próprio Marc Jacobs criou em 1993 para a marca norte-americana Perry Ellis e inclui, além de vestidos florais soltos e peças em xadrez, uma série de peças com o famoso sorriso e a palavra “Heaven” (céu, em português), no lugar onde tradicionalmente está escrito Nirvana.

A banda acusa a marca de usar um design semelhante ao “smiley face” criado por Kurt Cobain, com apenas pequenas alterações. Por exemplo, as letras “M” e “J” a substituir as cruzes dos olhos. Queixa-se ainda do uso “intencional” das mesmas imagens na promoção da colecção, como parte de “uma campanha alargada para associar toda a colecção ‘Redux Grunge’ com Nirvana”, numa tentativa de induzir o público “a pensar que a colecção tinha tido apoio dos Nirvana​”.

O pedido de Marc Jacobs para que o processo seja arquivado — que deu entrada em tribunal a 8 de Março — reconhece que os designs foram “inspirados em T-shirts de concerto Nirvana vintage dos anos 1990”, mas defende que o criador “reinterpretou os designs de forma a incorporar elementos de branding [Marc Jabobs] numa imagem, de resto, vulgar”, refere o Guardian.

O documento diz que Nirvana LLC só tem direitos de autor sobre um design de T-shirt com um “smiley face”, a palavra Nirvana e a frase  “flower sniffin kitty pettin baby kissin corporate rock whores” na parte de trás. Considera, assim, que devido às alterações que Marc Jacobs fez ao design não se trata de uma réplica da imagem protegida.

Aponta também que a Nirvana LLC poderá até não ser dona legítima dos direitos autorais do logótipo da “smiley face” — registados por Cobain antes da sua morte — , não havendo no processo inicial qualquer referência à forma como este terá sido transferido do músico para a entidade, que é composta por Courtney Love (viúva de Cobain), a filha de amnps, Frances Bean Cobain, e pelos ex-membros da banda Dave Grohl e Krist Novoselic. Afirma ainda que há muito que a marca de moda usa a “smiley face” nos seus designs.

O documento refere ainda, segundo a BBC, que Courtney Love e a filha aprovaram a colecção de Marc Jacobs. “Como amigas da marca, [Courtney] Love e [Frances Bean] Cobain ajudaram a celebrar o lançamento da colecção”, lê-se.

Contudo, numa entrevista à Women's Wear Daily, após o lançamento da colecção inicial de 1993, Courtney Love disse ter queimado as peças de roupa que Marc Jacobs lhe enviou na altura.