Portugal conquista dez medalhas nos Europeus de atletismo de deficiência intelectual

As dez medalhas foram conquistadas no segundo dia dos Campeonatos Europeus de atletismo da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual.

Lenine Cunha ganhou cinco medalhas
Foto
Lenine Cunha ganhou cinco medalhas DR

Portugal conquistou este sábado dez medalhas no segundo dia dos Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS), com destaque para a quinta medalha de Lenine Cunha.

Depois da “prata” no triplo salto e no pentatlo, Cunha chegou à 200.ª medalha em provas internacionais com o “bronze” nos 60 metros barreiras, antes de somar a 201.ª e 202.ª no salto em comprimento e na estafeta 4x200 metros, acompanhado por Carlos Freitas, Carlos Lima e Sandro Baessa.

Para o atleta luso, medalha de bronze nos Jogos Paralímpicos de Londres2012, falta ainda a estafeta 4x400 metros e o salto em altura em Istambul para continuar a somar “metais”.

A portuguesa Carina Paim reforçou o domínio no contexto europeu dos 400 metros, uma vez que já tinha vencido no Europeu de 2018 e neste sábado voltou a ganhar a medalha de ouro, agora em pista coberta.

Ana Filipe também terminou em primeiro lugar, nos 60 metros barreiras, com um tempo de 9,96 segundos, e conseguiu depois nova medalha, desta feita de bronze, no salto em comprimento, a terceira na prova, após a prata no triplo salto no primeiro dia.

Sandro Baessa também “bisou”, com o bronze nos 400 metros, além da estafeta 4x200, e Afonso Roll sagrou-se vice-campeão dos 3000 metros marcha, distância em que Joana Silva foi medalha de bronze, na prova feminina, já depois de também ter conseguido o terceiro lugar nos 3000 metros corridos.

No primeiro dia, a comitiva lusa, de 11 atletas, conseguiu quatro medalhas em Istambul, elevando a 14 o número de “metais” conseguidos ao segundo de quatro dias de prova, um valor já acima dos campeonatos de 2017, em Praga, quando alcançaram 13 medalhas.