Foto

Nintendo cria uma realidade (virtual) feita de cartão

A criatividade dos brinquedos em cartão junta-se à tecnologia da realidade virtual. O mais recente conjunto da Nintendo Labo para a Switch chega às lojas portuguesas a 12 de Abril.

Depois dos brinquedos em cartão, a Nintendo alarga agora horizontes. A nova colecção da Nintendo Labo inclui uns óculos de realidade virtual que funcionam em conjunto com outras cinco peças de cartão. O VR Kit, para a consola Nintendo Switch, estará disponível em Portugal a partir de 12 de Abril.

Lançada em 2018, a série Nintendo Labo prepara agora uma quarta caixa com seis novos Toy-Cons, como baptizaram as criações em cartão que, depois de montadas, permitem diferentes maneiras de jogar. Desta vez, a empresa anunciou uma novidade: a realidade virtual. O pack inicial contém os óculos VR e uma arma chamada Desintegrador, além do cartucho de jogo. Os dois pacotes de expansão incluem, em pares e em cartão, uma câmara fotográfica, um elefante, um pássaro e ainda um Pedal de Vento. Para os que quiserem uma experiência total, a Nintendo também irá vender uma versão com todas estas componentes.

PÚBLICO - Toy-Con Elefante
Toy-Con Elefante Nintendo
PÚBLICO - Toy-Con Pássaro
Toy-Con Pássaro Nintendo
PÚBLICO - Toy-Con Pedal de Vento
Toy-Con Pedal de Vento Nintendo
PÚBLICO - Toy-Con Câmara
Toy-Con Câmara Nintendo
PÚBLICO - Toy-Con Óculos VR
Toy-Con Óculos VR Nintendo
PÚBLICO - Toy-Con Desintegrador
Toy-Con Desintegrador Nintendo
Fotogaleria
Nintendo

Ainda não estão definidos preços para o mercado português, mas não deverão andar longe dos valores que a Nintendo já anunciou nos Estados Unidos: o kit ​básico custará 40 dólares, enquanto a versão completa está fixada nos 80 dólares. Os packs de expansão estarão à venda por 20 dólares cada, mas exclusivamente para plataformas online — além de exigirem o software base, disponível com o pacote inicial.

“Este novo kit introduz a realidade virtual de uma maneira divertida e apelativa tanto a crianças, como a crianças de coração”, diz Doug Bowser, vice-presidente de marketing e vendas da Nintendo americana, num comunicado publicado no website oficial. A empresa de videojogos quer “encorajar interacções virtuais com o mundo real entre os jogadores” através dos Toy-Cons. No entanto, com um suporte de ecrã, os jogadores podem pousar os óculos de realidade virtual e optar por uma experiência de jogo 2D.

Além destas novidades, a Nintendo divulgou ainda que o novo pack contém uma actualização para a Toy-Con Garagem, uma aplicação da Nintendo Labo que permite ao utilizador experimentar e criar novas maneiras de jogar, através de ferramentas básicas de programação.

Esta não é a primeira vez que a empresa japonesa aposta na realidade virtual. A Virtual Boy, anunciada no Verão de 1995, perfilava-se como uma consola da nova geração. No entanto, segundo a Business Insider, a fraca oferta de videojogos, a palete cromática limitada ao vermelho e preto e o risco de náuseas e dores de costas ditaram um fracasso — acabaria por ser descontinuada no início de 1996. Com menos de um ano de vida e sem nunca chegar à Europa, a consola portátil ficou-se pelas 770 mil unidades vendidas no Japão e nos Estados Unidos.