Vilamoura aposta na ida à praia de bicicleta

Estacionamento de carro grátis em Vilamoura para quem não se importa de andar dez minutos a pé ou ir de bicicleta.

Foto
vasco celio (colaborador)

Vilamoura inaugura nesta sexta-feira um parque de estacionamento automóvel gratuito com 159 lugares na zona periférica. O novo equipamento fica a cerca de dez minutos de distância, a pé, da zona central do empreendimento turístico. A obra, com um custo de 223 mil euros, procurar minimizar as dificuldade de mobilidade – principalmente nos meses de Verão – quando o anel da marina de Vilamoura se transforma num formigueiro de gente. Fica facilitado o uso das bicicletas partilhadas, que chegou ali em Julho de 2012, e é um sucesso. Em Agosto, por cada minuto, é requisitada uma bicicleta

O parque localiza-se na área adjacente à rua Melvin Jones (perto do antigo casino), numa zona servida com uma rede de ciclopistas, com mais de 25 quilómetros, e uma oferta de três centenas de veículos, distribuídos por 300 estações. Para breve, está agendada a abertura de um outro parque de estacionamento (junto ao mini-golfe – posto da GNR), com 152 lugares, mas a pagar – à semelhança dos outros lugares de estacionamento que se encontram nas áreas envolventes à marina. Os congestionamentos de tráfego, durante a época balnear, a par dos problemas relacionados com o ruído, estão no topo da lista das queixas dos turistas

A intervenção de fundo, ao nível do parqueamento automóvel, adianta o presidente da Inframoura - empresa responsável pelas infra-estruturas -, está projectada para a praça Tivoli. Nessa zona central vai ser construído um empreendimento, com dois pisos subterrâneos e uma capacidade para 400 lugares. A obra, da responsabilidade da câmara de Loulé, tem um custo estimado em oito milhões de euros e deverá arrancar no próximo ano.

“Queremos devolver a praça aos peões”, sublinha o presidente da Inframoura, José Miguel, destacando que vai surgir, a partir deste sítio, “um corredor verde até ao passeio das dunas [junto à praia]”, de forma a estimular os hábitos de andar a pé ou de bicicleta – uma maneira, às vezes, de chegar mais rápido do que pegar no carro para ir à praia ou ao café.