Dono da LVMH, Bernard Arnault, tem a terceira maior fortuna, segundo a Bloomberg

Bernard Arnault é apenas a segunda pessoa da Europa a entrar no pódio desta lista, depois de Amancio Ortega, fundador da Zara.

Foto
REUTERS/Benoit Tessier

Na semana em que completa o 70.º aniversário, Bernard Arnault subiu ao terceiro lugar da lista das maiores fortunas do mundo da Bloomberg, a seguir a Jeff Bezos e a Bill Gates. O CEO da LVMH — um dos maiores conglomerados de luxo, que tem em portefólio marcas como a Louis Vuitton, Bulgari e Christian Dior — torna-se assim o segundo europeu a chegar ao pódio. O outro foi o espanhol Amancio Ortega, dono da Zara.

Desde o início do ano, Arnault acrescentou 14,5 mil milhões de dólares (12,8 mil milhões de euros) à sua fortuna, de acordo com a Bloomberg, que estima que o empresário tenha actualmente um património no valor de 83,1 mil milhões de dólares (73,4 mil milhões de euros) — tendo ultrapassando Warren Buffett, o disciplinado investidor e dono da Berkshire Hathaway, por 100 milhões, na terça-feira. No topo da lista estão Jeff Bezos e Bil Gates, com 140 mil milhões e 98,3 mil milhões de dólares (123,8 e 86,9 mil milhões de euros), respectivamente.

A subida de Arnault está directamente relacionada com a valorização da Christian Dior e da LVMH em bolsa, aponta ainda a Bloomberg, sendo que as acções das mesmas empresas subiram 20%.

A notícia coincide com a publicação da lista das pessoas mais ricas do mundo da Forbes, que consagrou Kylie Jenner como a mais jovem a criar uma fortuna acima de mil milhões de dólares por conta própria (ou seja, sem ter herdado). Maria Fernanda Amorim é a única pessoa portuguesa, com uma fortuna de 4,8 mil milhões. Nessa lista, Arnault figura no quarto lugar, com uma fortuna avaliada em 76 mil milhões de dólares (67,2 mil milhões).

Há uma discrepância significativa entre o valor associado à lista anual da Forbes — que tem por base os valores da bolsa e de câmbio do dia 8 de Fevereiro — e o valor que a mesma publicação atribui ao empresário em "real time", que é superior em 5,8 mil milhões de dólares (5,1 mil milhões de dólares). A LVMH registou um crescimento notável só nas últimas semanas, sendo que o preço das acções valorizou em bolsa 8,9% entre 8 de Fevereiro e 5 de Março. A Forbes refere ainda que a LVMH atingiu em 2018 um recorde em vendas, em parte graças ao aumento do consumo por parte de chineses.