Passe único: divulgação ainda não começou porque é preciso "certeza absoluta que não vai falhar”

A comunicação aos utentes, garante o primeiro-secretário da área metropolitana de Lisboa, está preparada para várias plataformas, mas só irá avançar a 15 de Março.

Foto
Fábio Augusto

Quando abrimos os sites de qualquer um dos operadores de transporte da Área Metropolitana de Lisboa – Carris, Metro, Transtejo ou Fertagus, para nomear alguns – não há qualquer referência ao passe único, que pode ser comprado já no próximo dia 26 de Março e entra em vigor a 1 de Abril. A comunicação aos utentes está preparada para várias plataformas, mas só irá avançar a 15 de Março, diz ao PÚBLICO o primeiro-secretário da Área Metropolitana de Lisboa, Carlos Humberto de Carvalho.

“É natural que surja uma ou outra informação mais concreta antes disso, mas precisamos de ter garantias absolutas sobre todas as coisas do ponto de vista tecnológico, formal, legal, legislativo”, disse ao PÚBLICO. “A instituição tem de distribuir informação com rigor. O que podemos dizer é que tudo indica que os problemas estão ultrapassados, mas precisamos de ter a certeza absoluta que não vai falhar”.

O arranque da campanha de comunicação aos utentes está prevista para meados de Março, com presença nos sites, em “distribuição junto dos clientes e propaganda estática nas ruas, junto aos operadores em cooperação com as autarquias e câmaras municipais”.

A data de lançamento do novo passe não está, no entanto, em risco. Apenas o passe família, um agregador de todos os cartões da família, pode não arrancar nesse dia. “Ainda há questões de carácter tecnológico e formal que ainda estamos a ultrapassar”, justifica Carlos Humberto de Carvalho.

O que muda

O novo passe Navegante vem introduzir algumas mudanças nos transportes na Grande Lisboa. Com um preço único de 30 euros (para usar os transportes dentro do mesmo município) e de 40 euros (para usar os transportes de toda a área metropolitana), este novo passe único será valido de mês a mês e não por 30 dias, como até agora.

cartão Lisboa Viva passa a ser único – isto significa o fim dos passes locais. Quem ainda não tem o cartão Lisboa Viva deve apressar-se a pedi-lo, uma vez que ainda leva alguns dias a ser criado.