Fotogaleria

Entre-os-Rios: 20 anos, 20 fotografias

Passaram 20 anos desde uma das maiores tragédias envolvendo obras públicas em Portugal. Quase duas décadas depois, as feridas continuam por sarar junto das famílias que não puderam chorar os seus entes-queridos. 56 pessoas morreram, 36 corpos nunca foram encontrados. O acidente ocorreu às 21h15 de 4 de Março de 2001. (fotogaleria actualizada a 4 de Março de 2021)

Há 19 anos, um autocarro e três veículos ligeiros caíram ao rio Douro Manuel Roberto
Fotogaleria
Há 19 anos, um autocarro e três veículos ligeiros caíram ao rio Douro Manuel Roberto

Um autocarro e três veículos ligeiros caíram ao rio Douro, sem deixar sobreviventes. Morreram 59 pessoas. Pais, filhos, amigos, avós, primos, sobrinhos, netos, conhecidos. O luto não se cingiu às aldeias e vilas próximas. Portugal juntou-se a Entre-os-Rios, acompanhou em directo as buscas pelos corpos. O país adormeceu e acordou durante vários dias perante um cenário nebuloso e difícil de encarar — e que as fotografias registadas pelos repórteres do PÚBLICO nessa altura comprovam. Passaram 20 anos. A imagem do país rutilante da Expo'98, do Porto - Capital Europeia da Cultura, desabava na incúria e no abandono em que vivia grande parte do seu território.

 

Manuel Roberto
Morreram 59 pessoas. Não houve sobreviventes. Foi a 4 de Março de 2001
Morreram 59 pessoas. Não houve sobreviventes. Foi a 4 de Março de 2001 Manuel Roberto
O pilar da ponte Hintze Ribeiro desabou, devido à descida do leito do rio provocada pela remoção de areias na zona
O pilar da ponte Hintze Ribeiro desabou, devido à descida do leito do rio provocada pela remoção de areias na zona Manuel Roberto
Em 2006, o Tribunal de Castelo de Paiva absolveu os seis engenheiros acusados pelo Ministério Público de negligência
Em 2006, o Tribunal de Castelo de Paiva absolveu os seis engenheiros acusados pelo Ministério Público de negligência Nelson Garrido
Depois da tragédia que ninguém esquece , 36 corpos nunca foram encontrados. Até hoje
Depois da tragédia que ninguém esquece , 36 corpos nunca foram encontrados. Até hoje Manuel Roberto
Em 2012, passados dez anos do acidente, uma investigação revelava que 90% dos familiares das vítimas sofriam de stress pós-traumático. A falta de um corpo para fazer o luto não deixava a vida continuar
Em 2012, passados dez anos do acidente, uma investigação revelava que 90% dos familiares das vítimas sofriam de stress pós-traumático. A falta de um corpo para fazer o luto não deixava a vida continuar Paulo Pimenta
As demonstrações de pesar e luto foram sendo uma constante junto ao local do incidente
As demonstrações de pesar e luto foram sendo uma constante junto ao local do incidente Fernando Veludo
A força do caudal e as correntes fortes do rio levavam a crer que os cadáveres poderiam aparecer longe do local do acidente, mas quatro dias depois, quatro corpos deram à costa nos mares do Norte da Galiza
A força do caudal e as correntes fortes do rio levavam a crer que os cadáveres poderiam aparecer longe do local do acidente, mas quatro dias depois, quatro corpos deram à costa nos mares do Norte da Galiza Fernando Veludo
Três dias depois da tragédia, o Governo anunciava apoios às famílias das vítimas
Três dias depois da tragédia, o Governo anunciava apoios às famílias das vítimas Nelson Garrido
Em 2011, Jorge Sampaio,  Presidente da República em 2001, afirmou que a tragédia "marcou" o seu mandato e que a controvérsia sobre o desastre "nunca morrerá"
Em 2011, Jorge Sampaio, Presidente da República em 2001, afirmou que a tragédia "marcou" o seu mandato e que a controvérsia sobre o desastre "nunca morrerá" Fernando Veludo
Depois dos quatros corpos encontrados no Norte da Galiza, deram à costa, dias depois, outros dois, também em território espanhol
Depois dos quatros corpos encontrados no Norte da Galiza, deram à costa, dias depois, outros dois, também em território espanhol Nelson Garrido
Equipas francesas e espanholas de busca estiveram no local a auxiliar os trabalhos
Equipas francesas e espanholas de busca estiveram no local a auxiliar os trabalhos Nelson Garrido
A última vistoria à ponte, em Janeiro de 2001, não havia revelado anomalias
A última vistoria à ponte, em Janeiro de 2001, não havia revelado anomalias Nelson Garrido
Após a queda da ponte, e durante alguns anos, a travessia do rio fez-se por ferry boat, gratuitamente
Após a queda da ponte, e durante alguns anos, a travessia do rio fez-se por ferry boat, gratuitamente MARIO MARQUES
A ponte Hintze Ribeiro foi construída em tempo recorde
A ponte Hintze Ribeiro foi construída em tempo recorde Manuel Roberto
Os retoques finais
Os retoques finais Fernando Veludo
Catorze meses depois da derrocada, foi inaugurada a renovada ponte Hintze Ribeiro, em Castelo de Paiva, por Durão Barroso, primeiro-ministro à época, em 2002
Catorze meses depois da derrocada, foi inaugurada a renovada ponte Hintze Ribeiro, em Castelo de Paiva, por Durão Barroso, primeiro-ministro à época, em 2002 Fernando Veludo
A renovada ponte era inaugurada a 4 de Maio de 2002.
A renovada ponte era inaugurada a 4 de Maio de 2002. Paulo Pimenta
António Guterres chega a Castelo de Paiva e é apupado a gritos de “assassino”. O então primeiro-ministro foi contra a demissão de Jorge coelho, seu ministro do Equipamento social, que pediu a demissão logo após o acidente
António Guterres chega a Castelo de Paiva e é apupado a gritos de “assassino”. O então primeiro-ministro foi contra a demissão de Jorge coelho, seu ministro do Equipamento social, que pediu a demissão logo após o acidente Nelson Garrido
Sugerir correcção