É o fim de uma era. SIC ultrapassa TVI nas audiências mensais pela primeira vez em mais de 12 anos

Bastou apenas uma décima para a estação de Paço de Arcos ultrapassar as audiências da TVI pela primeira vez em mais de uma década.

A aposta na Cristina Ferreira foi fundamental para virar os resultados
Foto
O investimento na contratação de Cristina Ferreira ajudou a estação a conquistar a liderança na grelha da manhã Miguel Manso

Foram precisos 12 anos e meio — e um empurrão de Cristina Ferreira —, mas Fevereiro inverteu os lugares da SIC e da TVI. Pela primeira vez, as audiências da SIC conseguiram ultrapassar as audiências da estação TVI. A margem de diferença não foi muita, bastou apenas uma décima, mas foi o suficiente para a SIC destronar a TVI do pódio, apurou o PÚBLICO junto de fonte da SIC. A liderança da SIC não acontecia desde Julho de 2006.

Nos últimos meses, a conquista do resultado histórico foi feita a passo lento — mas certeiro — do primeiro lugar das audiências. Fevereiro foi o mês da recompensa para a estação, que recentemente se mudou para novas instalações, em Paço de Arcos. Em mês de mudanças, a SIC conquistou audiências mensais de 18,6%. A TVI não ficou longe, mas caiu para o segundo lugar com 18,5%.

O momento foi festejado nos estúdios da estação com a presença do presidente executivo do grupo Impresa (SIC), Francisco Pedro Pinto Balsemão, do director-geral de informação da SIC, Ricardo Costa e pelo director-geral de entretenimento e director de programas da SIC — com música e espumante.

Em comunicado, a SIC confirma a liderança e detalha que "o canal manteve a tendência de subida das audiências, que se verifica acentuadamente desde o último trimestre de 2018, quando passou a liderar as tardes dos dias úteis, fruto dos resultados de Casados à Primeira Vista, Júlia ou a telenovela Gabriela". 

A SIC é ainda a única estação a crescer em relação ao ano anterior, tendo passado de um share total de 16,5% em Fevereiro de 2018 para um share médio de 18,6%, informa a empresa responsável pela comunicação da SIC, que cita dados da GfK/CAEM​.

Os resultados da SIC reflectem também o investimento da estação de Paço de Arcos na contratação da apresentadora Cristina Ferreira, que empurrou a estação para o primeiro lugar de audiências e atingiu os melhores resultados da manhã da SIC desde 2002 e colocou a estação a vencer nos dias úteis. 

A SIC manteve ainda a liderança nos canais temáticos, terminando o mês com 22,1% de share. Já os canais da TVI e da RTP tiveram, respectivamente, 21% e 16,3% de share.

Para além das audiências, também os resultados do grupo Impresa divulgados esta quinta-feira mostram um regresso aos lucros. De acordo com o Jornal de Negócios, a Impresa regressou aos lucros em 2018, com um resultado positivo de 3,1 milhões de euros, após ter registado perdas de 21,6 milhões no ano anterior.

Em comunicado, a TVI preferiu destacar outros números, sublinhando a sua liderança durante o prime-time, o chamado "horário nobre" da televisão, que diz respeito ao período entre as 20h e a meia-noite. A estação faz uma média entre Janeiro e Fevereiro, período durante o qual conseguiu uma audiência de 23,1%.