PJ fez buscas na Câmara da Chamusca relacionadas com uma gráfica

O presidente da Câmara admitiu que o processo nada tem que ver com o município ou com a Resitejo, incidindo somente na empresa de artes gráficas.

Foto
Nuno Ferreira Monteiro

A Polícia Judiciária fez, na quarta-feira, buscas na Câmara Municipal da Chamusca, no distrito de Santarém, na Resitejo e numa empresa de artes gráficas, confirmou esta sexta-feira à Lusa fonte autárquica.

O presidente da Câmara da Chamusca, Paulo Queimado, afirmou que os inspectores levaram três pastas de documentos relativos a processos de contratação com uma gráfica, celebrados desde 2013 até 2016, ano em que cessou essa prestação de serviços.

O autarca disse que o processo nada tem a ver com o município nem com a Resitejo, empresa de tratamento de resíduos do Médio Tejo a cujo conselho de administração pertence, tendo incidido especificamente sobre a empresa.

O semanário regional O Mirante noticiou esta sexta-feira, na sua edição online, que as buscas ocorreram igualmente na Junta de Freguesia da Carregueira, incidindo em "documentos contabilísticos da tipografia, que é fornecedora da autarquia e da Resitejo".

Segundo o jornal, "os inspectores estavam munidos de mandados de busca e apreensão, tendo apreendido facturas" e levado três documentos da Resitejo.

Paulo Queimado disse à Lusa estar "absolutamente tranquilo" e "sempre disponível para colaborar" com todas as entidades inspectivas.

Sugerir correcção