Desemprego na UE cai em Janeiro para valor mais baixo dos registos do Eurostat

A taxa de desemprego na UE recuou em Janeiro para 6,5%, mas há realidades distintas: dos 2,1% da República Checa e dos 3,2% da Alemanha aos 18,5% da Grécia e 14,1% de Espanha.

Taxa de 3,2% desemprego na Alemanha é das mais baixas da UE
Foto
Taxa de 3,2% desemprego na Alemanha é das mais baixas da UE REUTERS/Thomas Peter

A taxa de desemprego na União Europeia recuou em Janeiro para 6,5%, face aos 6,6% de Dezembro e 7,2% na comparação homóloga, atingindo o valor mais baixo desde que o Eurostat começou a publicar os dados mensalmente, em 2000.

Os dados hoje divulgados pelo gabinete oficial de estatísticas da UE revelam ainda que, na zona euro, a taxa de desemprego foi de 7,8% no primeiro mês do ano, estável face a Dezembro de 2018, mas abaixo dos 8,6% registados no período homólogo (Janeiro do ano passado), permanecendo assim no valor mais baixo desde Outubro de 2008.

Em Portugal, a taxa de desemprego foi de 6,7% - uma subida de uma décima na variação mensal (em Dezembro de 2018 foi de 6,6%), mas mais de um ponto percentual abaixo do valor registado um ano antes (7,8%) -, um valor que fica assim ligeiramente acima da média da UE a 28, mas abaixo da média no espaço da moeda única.

De acordo com o gabinete estatístico da UE, em Janeiro de 2019 as menores taxas de desemprego observaram-se na República Checa (2,1%) e na Alemanha (3,2%), enquanto as mais elevadas foram registadas na Grécia (18,5%, dados de Novembro de 2018), Espanha (14,1%) e Itália (10,5%).

Na variação homóloga, as taxas de desemprego recuaram em todos os Estados-membros à excepção de Dinamarca e Malta, onde se mantiveram estáveis, tendo as maiores quedas ocorrido em Chipre (de 10,1% para 7,4%) e Grécia (de 21,1% para os 18,5% entre os meses de Novembro de 2017 e 2018).