Conceição arrisca o “onze” do Benfica e estranha controlo a Marega

FC Porto e Benfica jogam neste sábado, no Dragão, a partir das 20h30.

O treinador portista falou em conferência de imprensa.
Foto
O treinador portista falou em conferência de imprensa.

Odysseas, André Almeida, Rúben Dias, Ferro ou Jardel, Grimaldo, Samaris, Gabriel, Rafa, Pizzi, Félix e Seferovic. Para Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, será este o “onze” do Benfica no clássico marcado para este sábado (20h30). Nesta sexta-feira, na antevisão da partida, o treinador portista arriscou adivinhar o “onze” adversário, ao contrário de Bruno Lage, mas alertou: “Poderá haver uma ou outra mudança, mas acho que em 90% serão estes”.

Conceição concorda com Bruno Lage acerca do carácter “importante, mas não decisivo” do clássico e avançou uma ideia curiosa: “É um jogo que vale seis pontos, porque, se ganharmos, são três pontos que o adversário não ganha no confronto directo. Mas o campeonato é uma prova de regularidade e não vale a pena vencer agora se depois perder com o Feirense".

O técnico portista reconheceu que o Benfica “tem tido uma dinâmica interessante, alicerçada em vitórias”, mas preferiu falar da própria equipa: “É fundamental ter uma equipa coesa e a base do sucesso tem que ver com a organização defensiva: não deixar o adversário jogar, condicionar-lhe a dinâmica e, depois, sermos perigosos a atacar", analisou.

Numa nota de indignação, Conceição falou também do controlo antidoping individual a Marega. "Acho absolutamente normal um controlo colectivo. Quando é individual já não acho tão normal. Somos inovadores em algumas situações e as pessoas podem ficar pasmadas com um certo tipo de recuperações", disse, acerca da recuperação física do maliano.