Galiza a recrutar médicos portugueses. E quase lhes duplica o ordenado

Depois da Irlanda, Inglaterra e França, também a Espanha recruta médicos portugueses. A região espanhola oferece quase 4400 euros mensais brutos, cerca 1600 euros a mais do que ganha um médico em início de carreira em Portugal.

Foto
Vários países lançam anúncios de recrutamento em Portugal Nelson Garrido

A Comunidade Autónoma da Galiza (Espanha) quer contratar médicos portugueses, sobretudo pediatras e médicos de família, para reforçar os centros de saúde locais. Mas não são os únicos. Na bolsa de emprego da Ordem dos Médicos há anúncios de vagas na Irlanda, Inglaterra e França – países que recorrentemente procuram médicos em Portugal.

Os contratos, avança o Jornal de Notícias esta quinta-feira, terão uma duração mínima de um ano e um máximo de três. Oferecem 4390 euros brutos mensais, segundo o jornal. Um médico em Portugal em início de carreira, em 40 horas semanais, ganha 2746 euros brutos, segundo a tabela da Administração Central do Sistema de Saúde.

O Serviço Galego de Saúde oferece as mesmas condições que aos médicos espanhóis: salário igual, horário semanal idêntico e as mesmas licenças e um mês de férias. São mais cerca de 1600 euros por mês que estão a deixar a Ordem dos Médicos preocupada. A atractividade destas condições pode levar médicos a optar por sair do país.

Ao Jornal de Notícias o bastonário, Miguel Guimarães, lembra que o Serviço Nacional de Saúde “já não tem capacidade de responder a todos os portugueses” e teme que a oferta represente uma ameaça. Actualmente existem cerca de 680 mil pessoas sem médico de família atribuído.

Também o presidente do colégio de pediatria da Ordem dos Médicos se mostrou receoso, referindo ao Jornal de Notícias que o salário oferecido — 61.500 euros brutos anuais — “contrasta imenso” com as condições em Portugal e alude a um cenário de “sangria contínua”. O presidente da Associação de Medicina Geral e Familiar, Rui Nogueira, reforçou igualmente que “fica difícil cativar colegas para ingressarem na carreira médica sem outros motivos de atracção”.

Cobiçados no estrangeiro

Se na Galiza, refere o jornal, é a primeira vez que procuram contratar médicos em Portugal, para muitos outros países esta já é uma prática corrente. Irlanda, Inglaterra ou França são alguns dos exemplos. Além dos anúncios feitos através da redes sociais, na bolsa de emprego da Ordem dos Médicos é possível encontrar várias propostas de trabalho nestes países.

Procuram médicos de várias especialidades com condições superiores às oferecidas pelo Serviço Nacional de Saúde. Já são quatro as ofertas lançadas desde o início do ano a recrutar para o estrangeiro.

A mais recente, com data de 25 de Fevereiro, é para a Irlanda. Pede-se médicos de família e oferece-se salários que variam entre os 2160 euros e os 3500 euros brutos por semana. Os clínicos têm de ter dois anos de experiência.

No início do mês, era um hospital francês que anunciava o recrutamento de geriatras, neurologistas e médicos de clínica geral. Não especificavam as condições salariais, referiam apenas a possibilidade de alojamento nos primeiros três meses.

No início do ano, a 9 de Janeiro, foi colocada na bolsa de emprego da Ordem dos Médicos um anúncio de recrutamento de médicos de família para o serviço nacional de saúde inglês. O salário oferecido varia entre as 70 mil libras (81.750 euros) e as 90 mil libras (105 mil euros) anuais. O anúncio salientava que o contrato não sofrerá alterações com o “Brexit”.