Jovem, médica, desconhecida: a escolha do PS-Madeira para as europeias

Não continuidade de Liliana Rodrigues é a grande surpresa, com a opção a recair sobre uma perfeita desconhecida da política regional.

Foto
Na Madeira, este ano haverá três actos eleitorais: europeias, legislatiras e regionais HOMEM DE GOUVEIA

O PS-Madeira indicou o nome de Sara Cerdas para a lista do partido às eleições europeias do próximo 26 de Maio. Médica, de 29 anos, antiga campeã nacional de natação, é uma perfeita desconhecida da política madeirense e vai substituir a docente universitária Liliana Rodrigues, a cumprir o primeiro mandato no Parlamento Europeu.

Os socialistas madeirenses justificam a escolha de Sara Cerdas com uma “aposta” numa “nova geração” de “quadros qualificados”, agradecendo o “excelente” trabalho desempenhado por Liliana Rodrigues.

“É o início de uma etapa para construir o projecto que queremos para a Madeira, afirmando primeiro os nossos valores europeus, e afirmando a Madeira na Europa”, disse o presidente do PS-Madeira, Emanuel Câmara, considerando a escolha de uma jovem um “sinal de optimismo” para o futuro.

PÚBLICO -
Foto
Sara Cerdas

Paulo Cafôfo, candidato do PS-Madeira à presidência do governo regional, e que surgiu na política madeirense como vice-presidente de Liliana Rodrigues no Laboratório de Ideias do partido, considera que Sara Cerdas representa aquilo que o partido quer para o futuro da região autónoma: qualificação, competência e aposta numa nova geração.

“Queremos mudar a forma de fazer política na Madeira, queremos apostar em novos quadros e numa nova geração de políticas públicas que desenvolvam a região na próxima década”, diz o independente que preside à Câmara Municipal do Funchal, definindo as europeias como sendo um “passo importante” num ano em que o arquipélago terá três actos eleitorais: europeias, regionais e legislativas. “A Sara Cerdas representa este futuro que preconizamos, honra o PS-Madeira por ter aceitado o convite, e será uma magnífica representante da Madeira e do nosso povo no Parlamento Europeu”, resumiu Cafôfo.

Com o Clube Naval do Funchal, Sara Cerdas foi campeã regional e nacional de natação, sendo recordista absoluta em várias categorias e internacional portuguesa de juvenis. É mestre em Medicina pela Universidade de Lisboa e tem ainda um mestrado em Saúde Pública e um doutoramento em Ciências da Saúde Pública, ambos os diplomas obtidos na Universidade de Estocolmo.

Profissionalmente foi médica interna na Unidade de Saúde Pública de Almada-Seixal e exerceu funções na Direcção Geral de Saúde. Nunca trabalhou na Madeira e a escolha para integrar a lista socialista surpreende, até pelo trabalho que estava a ser desenvolvido por Liliana Rodrigues.

Nos corredores do partido, fala-se que o afastamento de Liliana Rodrigues estará relacionado com os nomes que compõem a equipa de trabalho que a acompanha no Parlamento Europeu. Dirigentes socialistas terão feito pressão, sem sucesso, para colocar elementos ligados à estrutura, e perante a recusa decidiram avançar com outro candidato.

Ao PÚBLICO, a eurodeputada foge à polémica. “É uma decisão da estrutura regional e vai correr tudo bem”, diz, agradecendo o “carinho dos militantes de base e simpatizantes”.

Sara Cerdas, tal como André Bradford, líder parlamentar do PS no parlamento açoriano, indicado pela estrutura regional dos Açores, deverão constar nos lugares elegíveis da lista, que será apreciada e votada na Comissão Política Nacional desta quinta-feira.