Period. End of Sentence: como um filme sobre menstruação ganhou um Óscar

Na Índia, uma nova máquina produz pensos higiénicos biodegradáveis a preços acessíveis. Period. End of Sentence, um documentário que retrata como essa invenção tem revolucionado a vida das mulheres de Hapur, uma pequena vila indiana, levou para casa a estatueta de Melhor Curta-Metragem Documental.

“Não estou a chorar porque estou com o período. Eu não acredito que um documentário sobre menstruação tenha ganho um Óscar.” Foi assim que Rayka Zehtabchi iniciou o emocionado discurso de agradecimento, no passado domingo, 24 de Fevereiro, quando o documentário que realizou, Period. Enf of Sentence, ganhou o Óscar de Melhor Curta-Metragem Documental. Mas Period. End of Sentence não é “só” um documentário sobre menstruação: é, acima de tudo, um retrato da importância da educação na independência das jovens em todo o mundo — com um olhar atento sobre a realidade indiana.

Mais do que um tabu, a menstruação pode ser o fim do acesso à educação ou ao trabalho para as jovens e mulheres que vivem em países em desenvolvimento. O desconforto provocado por alternativas pouco saudáveis aos pensos higiénicos (como folhas de árvores), o desconhecimento sobre o que é a menstruação e o estigma e mitos a ela associados obriga muitas jovens a desistir da escola, tornando-se economicamente dependentes de homens.

Mas a invenção de Arunachalam Muruganantham está a mudar a vida de algumas mulheres indianas. O empreendedor, também indiano, criou uma máquina que produz pensos higiénicos acessíveis e biodegradáveis. Através de uma angariação de fundos, a organização The Pad Project conseguiu instalar uma dessas máquinas em Hapur, uma pequena vila indiana. Assim, para além de terem acesso a pensos higiénicos e não terem de faltar à escola quando estão menstruadas, as jovens indianas têm ainda a oportunidade de fabricarem e venderem os produtos, combatendo o estigma da menstruação e, principalmente, tornarem-se economicamente independentes. É este cenário de mudança social que Period. End of Sentence quer mostrar.

Durante 26 minutos, o documentário, disponível na Netflix, mostra-nos quais os conhecimentos das pessoas da vila indiana relativamente à menstruação, quais as experiências das meninas e mulheres quando tiveram o período pela primeira vez e a revolução — social, educativa e económica — que a nova máquina de pensos higiénicos instalou em Hapur.

Realizado por Rayka Zehtabchi e produzido pela Guneet Monga’s Sikhya Entertainment, o filme surgiu da ideia de um grupo de alunas da Oakwood School, em Los Angeles, que, juntamente com a professora, criaram a organização sem fins lucrativos The Pad Project. O objectivo é consciencializar o mundo para a problemática do abandono escolar devido à menstruação e levar a máquina de Muruganantham a mais vilas indianas. E o trabalho da organização já está a dar frutos. Com Period. End of Sentence não só levaram para casa o Óscar de Melhor Curta-Metragem Documental, como colocaram o tema da menstruação em cima da mesa em todo o mundo. Ainda assim, The Pad Project não quer baixar os braços: "A nossa maior esperança é envolver o maior número de pessoas possível neste projecto para que nenhuma menina tenha de faltar à escola por causa do período", escrevem no site

A vitória de Period. End of Sentence vai além da estatueta. É mais um passo para a normalização do período e mais um combate à estigmatização do tema que se junta ao leque de iniciativas levadas a cabo nos países em desenvolvimento. Desde 2017 que, no Malawi, um grupo de mulheres dedica os seus dias a produzir um kit de pensos higiénicos reutilizáveis para evitar o abandono escolar das meninas. Por sua vez, no Nepal, a activista Radha Paudel promove, através da sua fundação, acções pedagógicas para "desmistificar os rumores e ideias erradas" e tenta assegurar produtos de higiene essenciais durante a menstruação.