Opinião

Escândalo cultural

A Tema é a única loja séria da imprensa estrangeira que Lisboa tem. Como é que se quer fazer passar por uma cidade cosmopolita se nem sequer há um sítio onde se pode escolher e comprar revistas estrangeiras especializadas?

Entristeceu-me saber que amanhã, quinta-feira, vai fechar a Tema: a única loja de jornais e revistas em Lisboa onde se encontra uma boa selecção da imprensa inglesa, americana, italiana e francesa.

A reportagem, escrita por Kátia Catulo, está no Corvo. A loja dos Restauradores é considerada "a mais importante loja de revistas e jornais internacionais em Lisboa". O pior é não haver outra que possa substitui-la - nem mesmo parcialmente.

Lembro-me da alegria da abertura da loja onde eu ia todas as semanas encher os braços de revistas. Acabava-se o inferno das assinaturas e dos números atrasados. Os jornais estavam todos ali à vista, podendo-se decidir se valia a pena comprá-los. Havia revistas académicas e tudo - a selecção era inteligente, não era ao calhas ou conforme o gosto do distribuidor.

As revistas estavam muito bem arrumadas - quem conhecesse as secções podia fazer raids-relâmpago, colhendo as publicações desejadas em menos de um minuto.

Ainda o ano passado fui lá fazer uma visita e fiquei contente de verificar que não tinha perdido qualidade. Saí com material para uma semana de leituras. Não há nada como ter uma pilha de revistas e jornais novinhos em folha ao nosso lado. Qual é que vou ler primeiro?

A Tema é a única loja séria da imprensa estrangeira que Lisboa tem. Como é que se quer fazer passar por uma cidade cosmopolita se nem sequer há um sítio onde se pode escolher e comprar revistas estrangeiras especializadas?

Lisboa está cada vez mais pitoresca e parola. É um vergonha e uma miséria.