Morreu o marinheiro do beijo icónico em Times Square. Um luso-descendente

George Mendonsa tinha 95 anos e era luso-descendente. Fotografia de Alfred Eisenstaedt tornou-se um símbolo do fim da Segunda Guerra Mundial.

Foto
A famosa fotografia tirada por Alfred Eisenstaedt: o beijo de George Mendonsa a Greta Friedman ALFRED EISENSTAEDT/LIFE

George Mendonsa, o marinheiro cuja fotografia a beijar uma enfermeira se tornou icónica, morreu no domingo, com 95 anos de idade. A enfermeira, Greta Zimmer Friedman, tinha morrido em Setembro de 2016 mas a imagem, capturada pelo fotojornalista Alfred Eisenstaedt para a revista Life, tornou-se uma das mais conhecidas da II Guerra Mundial e mostra o momento em que os americanos celebram o anúncio do fim do conflito armado mais sangrento da História.

O marinheiro nasceu em Newport, Rhode Island, numa família piscatória portuguesa. Juntou-se à marinha norte-americana em 1942 e, depois de ter servido no Pacífico durante três anos, regressou a casa em 1945.

A 14 de Agosto desse ano, George estava no primeiro encontro com Rita que, mais tarde, viria a ser a sua mulher. O casal viu o seu almoço ser interrompido por gritos de felicidade.

“Portanto, cheguei a Times Square, a guerra tinha acabado e eu vejo a enfermeira”, relembrou à CNN. “Tinha bebido um bocado e foi algo instintivo”, disse George. A futura mulher viu o marinheiro dar um beijo a uma desconhecida no primeiro encontro, mas, garantiu, não ficou chateada: “Eu estava lá ao fundo, a sorrir como uma tonta. Não me importei”.   

A enfermeira — que, na verdade, era assistente de dentista — também recordou, seis décadas após a fotografia, a sua versão do beijo: “De repente, um marinheiro agarrou-me. Não foi tanto um beijo, foi mais um acto de celebração: ele não tinha de voltar para o Pacífico, onde tinha combatido. Agarrou-me porque eu estava vestida de enfermeira e estava agradecido a todas as enfermeiras. Não foi uma coisa romântica mas uma forma de dizer: ‘Graças a Deus a guerra terminou’”.

Depois da foto, não trocaram nomes nem se voltaram a falar. Foi apenas em 1980 — quando a Life reiniciou a busca pelos protagonistas da fotografia, que ficou conhecida por V-J Day in Times Square — que se descobriu quem era a verdadeira “enfermeira” na fotografia. Greta e George voltaram a encontrar-se em Times Square em 2012, 67 anos após o momento capturado por Alfred Eisenstaedt.

Também demorou 35 anos para que o marinheiro descobrisse que o fotojornalista tinha capturado aquele instante. Aliás, a identidade do marinheiro foi, durante muito tempo, um assunto controverso. Apenas em 2012 uma investigação deu como confirmado que se tratava de George Mendonsa.