As secretarias de Estado que nascem, as que se fundem e as que desaparecem

Há novas secretarias de Estado do Desenvolvimento Regional e das Comunicações.

Duarte Cordeiro é o novo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro e dos Assuntos Parlamentares
Foto
Duarte Cordeiro é o novo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro e dos Assuntos Parlamentares Nuno Ferreira Santos

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, é a única que mantém as mesmas secretarias de Estado da sua antecessora, Maria Manuel Leitão Marques, e com os mesmos titulares.

Tiago Antunes, de 40 anos, permanece com secretaria de Estado da Presidência do Conselho de Ministros. Luís Goes Pinheiro, de 39 anos, continua como secretário de Estado adjunto e da Modernização Administrativa. Rosa Monteiro, de 47 anos, mantém-se à frente da secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

De resto há secretarias de Estado fundidas, outras que desaparecem e também novas que são criadas. Duarte Cordeiro, de 40 anos, é o novo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, em substituição de Mariana Vieira da Silva, e acumulará também a secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares, até agora garantida por Pedro Nuno Santos. Duarte Cordeiro deixa o lugar de vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, onde tinha a tutela dos pelouros da Higiene Urbana e das Estruturas de Proximidade.

No PS, Duarte Cordeiro foi líder da JS (2008-2010) é presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL), foi director da campanha de António Costa na recandidatura a líder em Maio de 2018 e do PS nas legislativas de 2015, tendo sido também director de campanha de Manuel Alegre nas presidenciais de 2011.

Novas pastas

A divisão do Ministério do Planeamento e Infra-estruturas em dois traz a criação de novas secretarias de Estado. Assim, o ministro do Planeamento, Nelson de Souza, terá como secretária de Estado do Desenvolvimento Regional Maria do Céu Albuquerque, de 48 anos, que foi desde 2009 presidente da Câmara Municipal de Abrantes. Desaparece a secretaria de Estado do Desenvolvimento e Coesão até agora ocupada pelo novo ministro Nelson de Souza.

Por sua vez, Pedro Nuno Santos, como ministro das Infra-estruturas e Habitação, terá três secretários de Estado. Alberto Souto, de 59 anos, que estava no Banco Europeu de Investimento, foi professor na Faculdade de Direito de Lisboa e presidiu à Câmara de Aveiro entre 1998 e 2005, é o novo secretário de Estado Adjunto e das Comunicações.

A secretaria de Estado das Infra-estruturas, até agora nas mãos de Guilherme Waldemar d’Oliveira Martins, será ocupada por Jorge Delgado, de 51 anos, que deixa a presidência do Metro do Porto. Para a tutela de Pedro Nuno Santos transita a secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, de 45 anos, que deixa assim o Ministério do Ambiente e da Transição Energética.

Saraiva, vice em Lisboa

A entrada dos novos secretários de Estado no Governo deixa em aberto cargos públicos nas Câmaras de Lisboa e de Abrantes e na empresa Metro do Porto. Na Câmara de Lisboa, a vice-presidência da Câmara será assumida por João Paulo Saraiva, que tutela as finanças, soube o PÚBLICO. Duarte Cordeiro será substituído por Carlos Castro, que já foi vereador até às autárquicas de 2017 e que ficará com a protecção civil, a higiene urbana e o desporto.

Na Câmara Municipal de Abrantes, a nova secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Maria do Céu Albuquerque, deverá ser substituída pelo actual vice-presidente, João Carlos Caseiro Gomes, que é responsável pelos pelouros do ordenamento e gestão urbanística, do planeamento estratégico, da gestão do capital humano e dos projectos e empreitadas. Por sua vez, com a entrada de Jorge Delgado para secretário de Estado das Infra-estruturas fica vaga a presidência do Metro do Porto.