Inundações e deslizamento de terras no Zimbabwe. Há 70 mineiros desaparecidos

As esperanças das autoridades locais e do governo diminuem em encontrar os trabalhadores ilegais desaparecidos devido às fortes chuvas.

Foto
PHILIMON BULAWAYO/Reuters

O governo do Zimbabwe espera encontrar cerca de 70 mineiros que estão presos nas minas de Mhondoro-Ngezi, em ​Kadoma, a cerca de 200 quilómetros a oeste da capital Harare, desde as fortes chuvas e consequentes inundações ocorridas na noite de terça-feira.

Apenas oito dos trabalhadores foram resgatados com vida este sábado, não se sabendo qual é o estado de saúde dos desaparecidos. Foi declarado estado de emergência no país africano.

Segundo a agência Reuters, os trabalhadores estavam a 100 metros de profundidade e em situação ilegal, algo que reabriu discussão sobre os perigos da contratação ilegal de mineiros, que contribuíram no ano passado para a recolha recorde de 33 milhões de toneladas de ouro.

Em simultâneo, explica o The Guardian, o Zimbabwe vive tempos de colapso económico que obriga famílias a ingressar neste tipo de trabalhos clandestinos e de grande exigência física. O ouro recolhido pelo país é maioritariamente vendido a bancos centrais subsidiários e a empresas privadas.

Alguns dos investidores destas minas reuniram esforços na noite de sexta-feira e bombearam água para dois túneis interligados nas minas, e o trabalho para recuperar os corpos deverá arrancar este sábado, diz jornal The Herald do Zimbabwe.