Corpo de Emiliano Sala já chegou à Argentina

O futebolista argentino será enterrado na sua cidade natal onde receberá uma última homenagem.

Jogos da Liga dos Campeões e da Liga Europa foram antecedidos por minuto de silêncio em memória de Sala
Foto
Jogos da Liga dos Campeões e da Liga Europa foram antecedidos por minuto de silêncio em memória de Sala EPA/EDDY LEMAISTRE

Os restos mortais Emiliano Sala chegaram esta sexta-feira à Argentina, onde será realizado, no sábado, o funeral do futebolista, quase quatro semanas após a queda do avião em que viajava, no Canal da Mancha.

O corpo foi transportado pela companhia British Airways e aterrou por volta das 9h locais (12h em Lisboa) no aeroporto de Ezeiza, perto de Buenos Aires, de onde seguirá por via terrestre até Santa Fé, capital da província homónima, e ali permanecerá junto dos seus familiares durante esta sexta-feira.

O caixão que transporta Sala será levado na manhã de sábado para Progreso, localidade pertencente à mesma região, onde o futebolista residiu desde os quatro anos e onde começou a jogar futebol pelo clube local, no qual permaneceu até aos 16, antes de dar o salto para o Proyecto Crecer, na vizinha província de Córdoba. Depois seguiu-se uma pequena aventura em Portugal, no FC Crato, no distrito de Portalegre, antes de rumar para França.

“Este é um dia tristemente histórico para o Progreso. Nunca teríamos imaginado isto e ainda estamos em choque”, lamentou Daniel Ribero, presidente do Club San Martín de San Progreso, cujas instalações irão acolher as cerimónias fúnebres do avançado.

Além de amigos e familiares, em Progreso são esperados representantes do clube francês Nantes e o próprio treinador do Cardiff, o inglês Neil Warnock, acompanhado pelo director-executivo do emblema galês, o malaio Ken Choo, tendo ambos viajado nesta sexta-feira no mesmo avião que transportava o corpo do futebolista argentino.

Sala, de 28 anos, transferiu-se dos franceses do Nantes, a troco de 17 milhões de euros, para os ingleses do Cardiff, mas o avião em que viajava, pilotado por David Ibobotson, desapareceu no passado dia 21 de Janeiro quando sobrevoava o Canal da Mancha.

O corpo do avançado argentino foi recuperado e identificado a semana passada no interior do avião sinistrado, tendo as autoridades britânicas dado luz verde para que os restos mortais fossem entregues à família na Argentina.