CDS vai avançar com proposta para alterar nomeação do governador do BdP

Assunção Cristas que que seja o Presidente da República a nomear o líder do banco central.

Cristas visitou a PSP de Lisboa
Foto
Cristas visitou a PSP de Lisboa LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O CDS deverá avançar ainda nesta legislatura com uma alteração ao regime de nomeação do governador do Banco de Portugal (BdP), passando esse dever a ser do Presidente da República por proposta do Governo, a quem cabe actualmente nomear o governador do banco central.

A alteração, que o CDS já defende há bastante tempo, foi nesta terça-feira reafirmada por Assunção Cristas, após uma visita de trabalho ao comando da PSP, em Lisboa

“Há a questão de se saber se é precisa uma revisão constitucional ou não para termos o Presidente da República a nomear o governador do Banco de Portugal, mediante proposta do Governo e depois ouvido no Parlamento. Nós avançaremos muito provavelmente ainda nesta legislatura com essa proposta”, afirmou a presidente do CDS.

Questionada se o seu partido defende a destituição do actual governador do BdP, Cristas disse que a fragilidade de Carlos Costa “parece evidente” e que quer ouvi-lo na comissão de inquérito parlamentar antes de tomar uma decisão.

“Não declinamos nenhuma possibilidade, mas entendemos que se há uma comissão parlamentar de inquérito para começar e se a primeira pessoa a ser ouvida nessa comissão é precisamente o governador, temos de o ouvir e colocar todas as questões e depois retirar as consequências”, acrescentou.