Portugal vai eleger as suas 7 Maravilhas da doçaria

A edição 2019 da competição é dedicada à doçaria portuguesa, entre a tradição e a inovação.

Foto
Na imagem: doçaria conventual - São Gonçalos e Papos de Anjo (na pastelaria Brisa Doce, Amarante) NELSON GARRIDO

“O doce que a avó fazia todos os Natais, o que se criou em conventos e se manteve até aos nossos dias, aquela iguaria da terra que só se come na Páscoa, o gelado que só se faz no Verão com fruta da época, o pudim à base da produção local, aquele docinho tradicional que só se encontra naquela zona do país e especialmente as inovações que privilegiam o que a terra dá.” Este é um resumo das doçuras de Portugal, feito pela organização do evento das 7 Maravilhas, que esta terça-feira apresentou na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa a sua nova edição, a 8.ª, desta feita dedicada, precisamente, à doçaria lusa. 

As 7 Maravilhas Doces de Portugal vão percorrer o país e, para já, estão em fase de candidaturas – até 7 de Março. E a organização do evento não faz por menos: eleger as 7 Maravilhas é “um acto emotivo, uma tomada de posição sobre quem somos e de onde vimos”, diz-se no site oficial.

No Ponto: Veja mais doces de Portugal

“São as memórias que fazem de Portugal um país de mestres pasteleiros” e “as inovações que sabiamente introduzem os produtos únicos de cada região na arte da doçaria” que se vão homenagear em 2019. O presidente da 7 Maravilhas de Portugal, Luís Segadães, referiu que o projecto vai focar-se na doçaria do país “com uma perspectiva inovadora”, o que passa também por promover a criação de novos doces, no uso de produtos endógenos e no incentivo ao empreendedorismo local. 

Na edição das 7 Maravilhas haverá sete categorias em análise: Doces de Território, Bolo de Pastelaria, Doce de Colher e Doce à Fatia, Biscoitos e Bolos Secos, Doces Festivos, Doces de Fruta e Mel e Doces de Inovação.

No total, serão seleccionados 140 doces candidatos. Destes, passar-se-á a 28 pré-finalistas e, depois, a 14 finalistas. A final do evento está marcada para 7 de Setembro com uma gala que terá transmissão em directo na RTP1.

Especial: Compotas e doces para pessoas mais ou menos gulosas