Quem sucede a Vítor Lopes no Internacional de Portugal?

Sem o campeão de 2018, prova joga-se entre quarta-feira e sábado com 120 jogadores de 17 países

Vítor Lopes com o troféu de 2018: o português ganhou liderando do princípio ao fim © FILIPE GUERRA/GOLFTATTOO/FPG
Foto
Vítor Lopes com o troféu de 2018: o português ganhou liderando do princípio ao fim © FILIPE GUERRA/GOLFTATTOO/FPG

O 89.º Campeonato Internacional Amador de Portugal – Homens começa amanhã (quarta-feira) no Montado Hotel & Golf Resort, no concelho de Palmela, com 120 jogadores de 17 países, incluindo Portugal, que o ano passado teve em Vítor Lopes – da selecção nacional e do CG Vilamoura – o campeão. 

Mas o vencedor de 2018 – o terceiro português a ganhar desde que o torneio passou do formato de match play para stroke play, em 2008, depois de Pedro Figueiredo em 2008 (no Estela Golf) e Gonçalo Pinto em 2013 (no Montado) – não estará presente para defender o título, visto que entretanto tornou-se profissional.

Vítor Lopes rumo ao título em 2018 / FILIPE GUERRA/GOLFTATTOO/FPG 

Em contrapartida, está o vice-campeão do ano passado, o inglês Benjamin Jones, bem como o também inglês Bailey Gill, que foi terceiro empatado com o dinamarquês Sebastien Friedrichsen. 

O mais importante torneio de golfe português para amadores de alta competição prolonga-se até sábado.e tem como grande figura o finlandês Matias Honkala, n.º 41 mundial e campeão da Europa por Equipas em 2018. O espanhol Adrián Mata (n.º 79) e o dinamarquês Morten Toft Hansen (n.º 82) completam o trio de participantes dentro do top-100 mundial. 

A seleção portuguesa é composta por Daniel Rodrigues, Pedro Silva e Pedro Neves, do CG Miramar; Afonso Girão e Vasco Alves, do Oporto GC; e.Lucas Azinheiro, do CG Vilamoura. Em circunstâncias normais, Pedro Lencart (Miramar) e João Girão (Oporto) fariam parte desta equipa, mas encontram-se a estudar e a competir a nível universitário nos EUA. 

Os melhores portugueses no ranking mundial são Pedro Lencart (145.º) e Daniel Rodrigues (271.º). Só há mais um jogador nacional dentro dos 1000 primeiros: João Girão (814.º). 

Na edição passada, houve outros portuguese em bom nível, além de Vítor Lopes: Pedro Lencart, mesmo adoentado, ficou nos 13.ºs, Daniel Rodrigues, na sua estreia no torneio com apenas 15 anos, ficou nos 17.ºs, Francisco Matos Coelho, de 14 anos, também protagonizou uma prova distinta sendo 28.º e Afonso Girão foi 32.º. 

Além dos seis convocados pela Federação Portuguesa de Golfe, há mais 10 portugueses em prova: Calvin Holmes (Quinta do Lago) João Maria Pontes (Miramar), Hugo Teixeira (Montado), Diogo Mealha (Miramar), Martim Baptista (Vale de Janelas), Pedro Perestrelo (Aroeira), Luis Pedro Martins (Oporto), Marlon Neto-Bradley (Miramar), Gonçalo Mata (Oporto) e João Pedro Maganinho (Oporto). 

O “Portuguese International Amateur Championship” é uma das etapas clássicas da Associação Europeia de Golfe (EGA) e atribui pontos para o ranking mundial amador de golfe, razão pela qual atrai todos os anos alguns dos melhores jogadores do Mundo. A Federação Portuguesa de Golfe (FPG) fechar a lista de participantes a 120, com 40 estrangeiros a ficaram de fora. 

O torneio desenrola-se em 72 buracos, com quatro voltas de 18 buracos por dia, havendo um cut aos 54 (no final do terceiro dia) para os 40 primeiros e empatados. 

Os países participantes são os seguintes, além de Portugal: Alemanha, Áustria, Dinamarca, Espanha, EUA, Escócia, Finlândia, França, Holanda, Inglaterra, Irlanda, Islândia, Itália, Luxemburgo, Noruega e País de Gales.

Veja mais em www.golftattoo.com