Pedro Dias absolvido de roubo de armas e obras de arte

Homicida de Aguiar da Beira está a cumprir 25 anos de cadeia.

Foto
LUSA/NUNO ANDRÉ FERREIRA

Pedro Dias, o homem que está a cumprir 25 anos de cadeia pelos três homicídios de Aguiar da Beira, foi absolvido esta segunda-feira pelo Tribunal de Évora de suspeitas de furto de armas, obras de arte, livros e artigos de arte equestre.

O roubo em causa aconteceu numa herdade no Alentejo em 2012, tendo Pedro Dias sempre negado ter sido ele o seu autor – apesar de alguns destes objectos terem sido encontrados na sua posse, nomeadamente uma arma de caça. E de ter chegado a frequentar a herdade, situada na freguesia de Torre de Coelheiros, no concelho de Évora, por a sua então companheira ali prestar serviço como veterinária.

Os artigos furtados valiam cerca de 300 mil euros. Quando foi questionado em tribunal sobre a proveniência dos objectos encontrados na sua posse, respondeu que comprou alguns deles a um negociante já falecido, enquanto outros lhe foram oferecidos pelos proprietários.

Mesmo que tivesse sido condenado, Pedro Dias não veria aumentada a pena de 25 anos que está a cumprir, uma vez que se trata do máximo permitido por lei. Depois de ter sido condenado à pena máxima em Março passado, o autor dos crimes recorreu para o Tribunal da Relação de Coimbra, que confirmou a decisão de primeira instância. Logo no mês seguinte, em Abril, Pedro Dias foi considerado também culpado do furto de aves aquáticas de um centro de reprodução, crime pelo qual foi condenado a dois anos de cadeia.