Pedro Sousa: o novo português a chegar ao top 100 do ténis mundial

Pedro junta-se a outro Sousa, João, na lista dos 100 melhores do "ranking" mundial ATP de ténis.

Foto
Pedro Sousa no Estoril Open de 2018 LUSA/TIAGO PETINGA

Pedro Sousa tornou-se esta segunda-feira no sexto português a figurar no top 100 do ténis mundial, numa lista que continua a ser liderada pelo sérvio Novak Djokovic e na qual João Sousa desceu do 39.º para o 41.º posto.

Na tabela, que não sofreu qualquer alteração nos dez primeiros classificados, Pedro Sousa, de 30 anos, surge precisamente na posição 100, tendo subido dois lugares em relação ao ranking da semana passada.

"Concretizei um grande objectivo de carreira. Demorou, mas finalmente chegou. É uma boa sensação, mas sinto-me aliviado também, porque há pouco mais de um ano era o número 102 e lesionei-me. Agora estava no 101.º lugar, magoei-me no pé e no cotovelo e fiquei sem poder competir. Alívio é uma boa forma para descrever a sensação neste momento", comentou o lisboeta, em declarações à agência Lusa.

Pedro Sousa defende que, com exceção "dos muito, muito bons que chegam ao 'top 10', os jogadores ditos 'normais' ambicionam entrar no 'top 100'", e que, no seu caso, essa "meta foi estabelecida há muito", desde que começou "a levar o ténis mais a sério".
Uma vez concretizado o objectivo, aos 30 anos, o jogador do CIF, que contraiu uma inflamação no cotovelo direito durante a eliminatória entre Portugal e Cazaquistão da Taça Davis, e uma entorse no pé mais recentemente, antevê desafios maiores e revela ambicionar mais.

"Infelizmente, ainda não posso competir e espero voltar o mais rápido possível para melhorar o ranking. A motivação está em alta e espero estar à altura dos próximos desafios, que serão maiores, como aliás já eram os torneios da América do Sul e dos quais tive de desistir. O objectivo, para já, é tentar manter-me no 'top 100' para garantir a entrada em provas de categoria superior e nos torneios do Grand Slam. Depois, quero começar a atacar outros rankings mais altos", avançou Sousa.

Nuno Marques foi o primeiro português a figurar no top 100 da hierarquia mundial, em 1991, tendo-se seguido Frederico Gil, Rui Machado, João Sousa e Gastão Elias.

Na tabela feminina, não se registaram alterações entre as 100 melhores tenistas, com a japonesa Naomi Osaka a manter-se na liderança, seguida de checa Petra Kvitova e da romena Simona Halep, segunda e terceira colocadas, respectivamente.