Inspiração de Muriel prolonga jejum sadino

Guardião brasileiro e atracção pelos ferros das balizas deixaram ataques em branco.

Foto
LUSA/TIAGO PETINGA

V. Setúbal e Belenenses SAD (reduzido a dez desde o minuto 67, por exclusão de Sasso) encerraram a 21.ª jornada da Liga com um nulo que aumenta para 12 jogos o jejum dos sadinos, cuja última vitória data de 1 de Dezembro de 2018, frente ao Marítimo, na Madeira.

Os cinco pontos conquistados em 30 possíveis deixam o Vitória na iminência de resvalar para os lugares de despromoção. Após duas derrotas, o Belenenses SAD manteve o sétimo lugar, desperdiçando a possibilidade de igualar o V. Guimarães e aproximar-se do Moreirense.

Apesar de não ter havido golos, registo para um número suficiente de ocasiões para marcar, com Licá e Diogo Viana (ao ferro) para os lisboetas e com Jhonder Cádiz e Hildeberto (ao ferro) para os da casa, sobrando ainda um punhado de intervenções de Muriel a segurar um ponto na fase de maior aperto.

O jogo fica marcado pela lesão de Henrique, conduzido ao hospital para exames, e pela expulsão de Sasso, por acumulação, numa arbitragem nervosa, com dualidade de critério.