Palcos da semana

Um cantautor do avesso, veteranos indie, teatro com coração e um festival de letras para pôr na agenda.

Foto
António Zambujo DR

Música
Zambujo Do Avesso

Dois anos depois de ter cantado Chico Buarque no disco Até Pensei Que Fosse Minha, António Zambujo ressurgiu, em 2018, Do Avesso. A uma sonoridade já cuidadosamente arranjada em camadas (fado, cante, mornas, jazz, MPB...), o novo álbum de originais adicionou a exploração de outras tantas – ecos de Tom Waits e Paul McCartney, por exemplo, são detectáveis e confessos. Na ficha técnica surgiram participantes como Luísa Sobral, Miguel Araújo, João Monge, Márcia, Arnaldo Antunes, Aldina Duarte ou a Orquestra Sinfonietta de Lisboa. A tradução ao vivo faz-se agora. Loulé é a primeira cidade portuguesa a receber a digressão.

 

PÚBLICO -
Foto
Doreen Charlotte Corman

Teatro
O derradeiro pacto de amor

A vida do filósofo e jornalista André Gorz teve um final trágico-romântico. Em 2006, quando soube que a mulher sofria de uma doença incurável, escreveu-lhe uma declaração de amor em forma de livro: Carta a D. Meses depois, o casal era encontrado morto em sua casa, na cama que partilhara ao longo de 58 anos. A peça Doreen, escrita e encenada pelo francês David Geselson (que também co-interpreta, com Laure Mathis), ensaia outra perspectiva deste pacto de amor: a dela, momentos antes do desfecho fatal. Chega a Portugal com um histórico de mais de dois anos de representações em França, onde recebeu, em 2017, o prémio da crítica para Melhor Criação em Língua Francesa. 

 

PÚBLICO -
Foto
Confissões de Um Coração Ardente Mário Melo Costa

Teatro
Heróis romanceados

No CCB, o São Valentim é dia de estreia de uma peça que reflecte sobre o amor, sob inspiração de DostoyevskyConfissões de Um Coração Ardente invoca "o romantismo patente na sua obra", explica a encenadora, Carla Maciel, e explora simultaneamente "a irracionalidade nos comportamentos dos heróis, as suas obsessões e os seus conflitos". Albano Jerónimo, Gonçalo Waddington, Marco Paiva, Miguel Loureiro, Teresa Coutinho e Tónan Quito compõem o elenco.

 

PÚBLICO -
Foto
Germano Almeida Daniel Rocha

Literatura
A maior das correntes

O escritor cabo-verdiano Germano Almeida, Prémio Camões 2018, é um dos convidados da 20.ª edição – e maior de sempre – do Correntes d'Escritas. Não é o único com esse galardão no currículo: Arménio Vieira e Hélia Correia também passam por lá. Juntam-se-lhes Ana Luísa Amaral, Bruno Vieira Amaral, Gonçalo M. Tavares, João Tordo, Juan Gabriel Vásquez, Lídia Jorge, Manuel Jorge Marmelo, Ondjaki, Paulo José Miranda, Sergio Ramírez, Valter Hugo Mãe... São apenas alguns entre os mais de 140 autores, provenientes de 20 países, chamados a participar em mesas-redondas, lançamentos de livros e visitas a escolas, ou a receber os prémios atribuídos no encontro literário. Exposições, concertos e oficinas para famílias completam o programa.

 

PÚBLICO -
Foto
Echo & The Bunnymen Paulo Pimenta

Música
Novidades clássicas

Os ingleses Echo & The Bunnymen voltam a palcos lusos, depois de terem tocado em Vilar de Mouros em 2016. A nostalgia joga mais uma vez a favor daquela que é uma das mais influentes bandas do planeta indie e pós-punk. Ian McCulloch e comparsas hão-de lembrar temas como Seven seas ou The killing moon, mas em novas roupagens. Afinal, o propósito do concerto é mostrar The Stars, The Oceans & The Moon (2018), um álbum que, dois temas novos à parte, trouxe reinterpretações de clássicos do seu percurso.

 

Descubra aqui o que mais está em palco nesta semana

Guia do Lazer: música, teatro, dança, arte, festivais e mais