José Mourinho declara-se culpado e aceita pena suspensa de um ano de prisão

As finanças espanholas exigem o pagamento de 60% do valor que consideram que o treinador português lesou o fisco por não ter declarado rendimentos a partir de direitos de imagem.

Foto
Reuters/Joseba Etxaburu

José Mourinho aceitou esta terça-feira cumprir um ano de pena suspensa e pagar uma multa de 3,3 milhões de euros devido aos crimes de fraude fiscal. O fisco espanhol acusou o treinador português de ter simulado em 2004 a cedência dos seus direitos de imagem com a sociedade Koper Services, sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal.

De acordo com o jornal El Mundo e o diário AS, a secção de delitos económicos do fisco de Madrid já tinha denunciado as infracções de Mourinho por fuga aos impostos. Em 2011, foi exigido ao técnico a exacta quantia de 1.611.537 euros, e, no ano seguinte, de 1.693.133 euros. Já a pena suspensa não será cumprida por “falta de antecedentes penais”.

O ex-treinador do Manchester United tinha assinado a 22 de Dezembro de 2008 um contrato de direitos de imagem com a Polaris Sport Limited. No entanto, esta empresa estava localizada na mesma sede da Multisports & Image Management Limited, na Irlanda, enquanto também tinha contrato com a Koper Services desde 17 Setembro de 2004.

Depois de na altura ter abandonado o comando técnico dos ingleses do Chelsea, José Mourinho foi oficializado a 31 de Março de 2010 como treinador do Real Madrid e mudou a sua residência para Madrid, motivo que concedeu ao português o estatuto de residente fiscal em Espanha, mas "com a intenção de obter um benefício ilícito", diz a justiça espanhola, Mourinho apresentou as suas declarações para 2011 e 2012 a tempo, sem declarar o seu rendimento a partir da transferência dos seus direitos de imagem.

Em Setembro do ano passado, o El Mundo noticiou que José Mourinho iria pagar um valor correspondente a 60% da soma ocultada ao fisco espanhol. Mas antes, entre Maio e Julho, o treinador de futebol pagou uma coima a rondar os 800 mil euros.

Pela mesma prática ilícita, Cristiano Ronaldo também pagou uma multa às finanças espanholas, num valor superior a 18 milhões de euros.