Google lança aplicações para pessoas com problemas de audição

O novo Live Transcribe já está disponível em português, embora ainda se engane em algumas palavras.

A aplicação para transcrever conversas em tempo real já está disponível em português
Foto
A aplicação para transcrever conversas já está disponível em português PAULO PIMENTA / PUBLICO

O Google lançou duas novas aplicações gratuitas para Android que pretendem facilitar o dia-a-dia de quem tem surdez ou dificuldades auditivas: uma aplicação de transcrição (chamada Live Transcribe) e um amplificador de som (o Sound Amplifier). 

Como o nome sugere, o Live Transcribe usa o microfone nos telemóveis para transcrever o discurso humano em redor do aparelho e apresenta-lo no ecrã. Está disponível em 70 línguas e dialectos.

A aplicação, que o PÚBLICO testou, ainda se engana em algumas palavras em português e funciona melhor se a pessoa falar mais lentamente. Em geral, já é possível perceber bem o contexto de uma conversa, embora se tenha de esperar vários segundos para o sistema transcrever a conversa para o ecrã.

Para já, ainda não é possível copiar o texto transcrito para outras aplicações. O objectivo é mesmo facilitar uma conversa em tempo real entre pessoas que não podem ou não querem falar em voz alta.

Já o Sound Amplifier permite aumentar o volume e a clareza do som de uma conversa captada pelo telemóvel. O som editado chega através dos auriculares conectados a um telemóvel. 

Ambas as aplicações foram criadas com a ajuda de estudantes da Universidade de Gallaudet, uma escola nos EUA com programas adaptados para pessoas surdas ou problemas de audição. "Podemos fazer coisas que não eram de todo possíveis há uns anos, como entrar numa conversa a meio durante o jantar ou participar casualmente numa conversa na altura certa", diz Christian Vogler, um investigador daquela universidade nos EUA, no site de apresentação do projecto.

A Organização Mundial de Saúde estima que nos próximos 30 anos existam 900 milhões de pessoas com problemas de audição. Mais de mil milhões de jovens (entre os 12 e os 35 anos) correm o risco de perder a audição devido ao ruído a que estão expostos em ambientes recreativos.

“O nosso objectivo é ajudar as centenas de milhões de pessoas que são surdas ou têm problemas de audição a comunicar com mais clareza”, disse Brian Kemler, gestor de produto na equipa de acessibilidade do Android, em comunicado.

As novas aplicações do Google mostram como os telemóveis e as redes sociais podem ser transformados em ferramentas para aumentar a acessibilidade.

Em 2017, a Microsoft lançou uma aplicação que usa a câmara do telemóvel e tecnologia de inteligência artificial para ajudar pessoas cegas ou com problemas de visão ao descrever o mundo à volta do utilizador (dos conteúdos num documento de texto, às emoções no rosto de uma pessoa).

Em Novembro do ano passado, o Instagram também lançou duas novas ferramentas para ajudar pessoas com deficiências visuais a navegar na rede social. Uma das funções usa algoritmos de reconhecimento de imagens para criar descrições automáticas das fotografias.