Teresa Villaverde vai ter retrospectiva integral no Pompidou

O centro de artes parisiense vai revisitar a filmografia da cineasta portuguesa, de A Idade Maior a O Termómetro de Galileu. Programa da integral inclui uma masterclass e um novo filme, encomendado pelo próprio Pompidou.

Foto
O Centro Pompidou, em Paris, vai fazer uma retrospectiva integral da filmografia de Teresa Villaverde DR

Teresa Villaverde (Lisboa, 1966) vai a Paris. Mais especificamente, ao Centre Georges Pompidou, que lhe dedicará, de 14 de Junho a 1 de Julho, uma retrospectiva integral. O programa, que inclui ainda uma masterclass​, prevê também a estreia de um novo filme, encomendado pelo próprio centro, sobre o qual não há ainda informações disponíveis. 

A realizadora e argumentista portuguesa, que ocasionalmente tem sido também actriz, montadora, directora de fotografia e produtora, estreou-se em 1991, com a longa-metragem A Idade Maior, centrada numa família marcada pela Guerra Colonial. Será justamente por esse filme que começará a integral do Pompidou, prosseguindo depois até Colo, retrato de outra família afectada por uma dor portuguesa mais recente, a da crise económica, que teve estreia mundial em 2016 na Berlinale mas só chegou às salas portugueses no ano passado. A integral abarca ainda O Termómetro de Galileu, documentário 2018 sobre o cineasta italiano Tonino de Bernardi.

Serão, ao todo, 15 filmes, que incluem as suas sete longas-metragens de ficção, como Os Mutantes, de 1998, olhar sobre adolescentes problemáticos de Lisboa, ou Transe, de 2006, que navega pelo tráfico e pela exploração de mulheres. Também serão mostradas curtas como O Amor Não me Engana, de 1996, e Paris 15/16, de 2016, rodada na mesma cidade onde será exibida, ou segmentos de filmes conjuntos, como Visions of Europe, de 2004, Venezia 70 – Future Reloaded, de 2013, e Pontes de Sarajevo, de 2014.