Constança Bastos abandonou a área financeira para criar a Going Nuts

Constança Bastos criou a marca para colmatar a oferta pouco saudável de granolas, mueslis e manteigas de frutos secos existentes no mercado.

Fotogaleria
A Going Nuts foi criada em Novembro de 2016 Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
As granolas e mueslis são ideais como acompanhamento dos lanches e pequenos-almoços Nuno Ferreira Santos,Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Depois de tirar o Mestrado na área das Finanças e de trabalhar num banco, Constança Bastos decidiu abandonar a sua profissão e dedicar-se em exclusivo à marca Going Nuts Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Além de granolas e mueslis, a Going Nuts também comercializa manteigas de frutos secos Nuno Ferreira Santos

As granolas, mueslis e manteigas de frutos secos têm-se espalhado pelo mercado português reflectindo uma crescente procura. Apesar de muitas entrarem na categoria de “alimentação saudável”, Constança Bastos, 28 anos, notou que os produtos disponíveis no mercado estavam cheios de açúcar e óleos refinados.

Foi assim que começou a confeccionar granolas e manteigas em casa e a oferecê-las aos amigos e familiares. Pouco depois, em 2016, decidiu abandonar o seu emprego na área das finanças e dedicar-se exclusivamente ao sector da alimentação. Criou a Going Nuts – um trocadilho para designar aqueles que são loucos (nuts) por frutos secos como as nozes (nuts). No inicio foi uma decisão difícil, mas hoje confessa não estar arrependida: “Descobri facetas de mim que não conhecia, como o gosto pela alimentação saudável.”

Constança Bastos confecciona e distribui todo os produtos da Going Nuts, com a ajuda de mais uma pessoa. Apesar da pequena dimensão do negócio, o volume de encomendas tem vindo a aumentar.

No cardápio da marca constam manteigas de frutos secos, mueslis e granolas confeccionadas de forma artesanal e sem recurso a adoçantes e gorduras. “Os clientes gostam da minha granola por ter um sabor natural, pela crocância, frutos secos e pelo facto de ser uma granola com produtos verdadeiros”, informa.

Constança Bastos admite que o investimento inicial “não foi muito grande”, mas que já atingiu o retorno esperado. Prefere não revelar os valores da sua produção mensal, mas afirma que em 2018, a marca teve um crescimento de 200% quando comparado com o ano anterior. Actualmente, já não está sozinha na cozinha, tem uma pessoa a ajudá-la, e também vai mudar de instalações. 

As redes sociais desempenham um importante papel na divulgação e gestão da Going Nuts, que também conta com o apoio de várias bloggers e YouTubers. É o caso de Alice Trewinnard, amiga de Constança Bastos, que frequentemente faz divulgação e promoção dos produtos Going Nuts no seu canal. As mulheres entre os 18 e os 40 anos, que fazem parte da “Geração Instagrammer”, são as grandes consumidoras da marca, diz.

Os pedidos de produtos são processados em exclusivo através do site da marca, mas isso está prestes a mudar. “Queremos estar mais em pontos físicos”, diz a criadora, que não revela as opções, ainda que nenhuma diga respeito a uma loja exclusiva da Going Nuts, adianta. Para já, o primeiro ponto de venda é o restaurante Cotidiano, na rua do Crucifixo em plena Baixa lisboeta. Por lá, pode não só adquirir os produtos como degustá-los. “Têm vários pratos com a nossa granola e manteiga”, orgulha-se Constança Bastos.

PÚBLICO -
Foto
A Granola Going Nuts é uma mistura de vários frutos secos e está disponível em dois tamanhos: 250g (4,65 euros) e 500g (8,95 euros) Nuno Ferreira Santos

A consolidação da marca passa também por participações em eventos como feiras e mercados alimentares, bem como parcerias com nutricionistas. Constança Bastos também prevê a criação de novos produtos que “terão sempre frutos secos à mistura”. O objectivo é aumentar “a gama de pequenos-almoços e snacks”, conclui.

Texto editado por Bárbara Wong