Pelo menos três mortos e 174 feridos devido a tornado em Havana

O furacão provocou a queda de árvores, postes eléctricos e destruiu edifícios.

Foto
O furacão deixou grande parte da capital cubana sem electricidade TWITTER

Pelo menos três pessoas morreram e 174 ficaram feridas na sequência da passagem de um tornado esta segunda-feira de manhã pelo bairro de Ragla, em Havana, informou o Presidente de Cuba, Miguel Diaz Canel.

“Nós estamos a percorrer os locais afectados pelo fenómeno atmosférico de grande intensidade. Os danos são severos e até ao momento temos a lamentar a perda de três vidas humanas e 174 feridos”, escreveu o líder cubano na rede social Twitter.

O furacão, que deixou grande parte da capital cubana sem electricidade, provocou a "queda de árvores, postes eléctricos e destruiu portas e janelas, telhados de casas e foram registados alguns deslizamentos de terra", de acordo com a comunicação social local.

O fenómeno atmosférico ocorreu durante fortes tempestades que afectaram no domingo as províncias de Pinar del Rio, Havana e Mayabeque, com ventos de 100 quilómetros por hora, chuva forte e granizo.

"A força dos ventos do tornado pode ser comparada à de um furacão de categoria 4 ou 5, embora o seu impacto seja mais concentrado", segundo a página no Facebook Cubadebate, que junta jornalistas cubanos e outras nacionalidades.