Contratação de jogadores menores pode afastar Chelsea do mercado

Clube inglês desvaloriza acusações da FIFA e afirma que agiu em conformidade. Segundo o jornal The Guardian, há mais de 100 futebolistas em causa.

Estádio Stamford Bridge, em Londres
Foto
Estádio Stamford Bridge, em Londres EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

A FIFA está a considerar impedir o Chelsea de contratar futebolistas na sequência de uma investigação que aponta para mais de 100 jogadores menores de idade a serem recrutados para a sua academia. A infracção já tinha sido denunciada em Novembro pela Football Leaks quando divulgou que o emblema inglês contratou 14 de 19 jogadores de forma ilegal no estrangeiro. Uma multa superior 400 mil euros também pode ser imposta pela FIFA ao Chelsea.

O órgão regulador do futebol mundial está há alguns anos a cruzar informação para verificar se o clube londrino está a agir em conformidade com as normas de transferências e contratação de jogadores jovens. No entanto, revelou o jornal britânico The Guardian, há 25 contratações realizadas no início de 2018 que o comité disciplinar da FIFA considera serem merecedoras de "um maior escrutínio”.

O Chelsea continua a afirmar que a lista de mais de 100 jovens analisada pela FIFA se refere maioritariamente a jogadores que estavam em captações e faziam parte de uma “avaliação a curto prazo para a academia”. Os restantes atletas, argumentam os dirigentes do clube, foram contratados cumprindo integralmente as regras do organismo.

Porém, se for provado o contrário, tudo indica que o Chelsea fique proibido de contratar jogadores nas próximas janelas de mercado, podendo recorrer da decisão para a própria FIFA ou para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS). O foco da investigação da FIFA está agora em perceber quanto tempo os jogadores menores estiveram ligados ao clube e se chegaram a residir na academia do Chelsea, em Londres.

Barcelona (em 2014), Atlético e Real Madrid (Setembro de 2016) já foram impedidos de contratar jogadores devido a este procedimento condenado pela FIFA.

De acordo com os regulamentos do organismo, um clube não pode contratar jogadores estrangeiros com menos de 18 anos, a não ser que os seus familiares ou o próprio jogador tenham emigrado para o país em causa por razões que não estejam ligadas ao futebol ou que o futebolista e o clube estejam a 50 quilómetros de uma fronteira nacional. A única excepção prevista pela FIFA é para transferências dentro da União Europeia ou do Espaço Económico Europeu, desde que o jogador tenha entre 16 e 18 anos. 

Neste mercado de Inverno que está prestes a terminar, o Chelsea já contratou ao Borussia Dortmund o médio norte-americano Christian Pulisic para a próxima temporada e assegurou Gonzalo Higuaín, por empréstimo.