É uma festa de aniversário? É um festival? É o Salgado Faz Anos… Fest

Este sábado, o Maus Hábitos, no Porto, volta a ser palco para a comemoração de um dia de anos que é, na verdade, um festival. The Parkinsons, Sunflowers ou Chullage são alguns dos (muitos) convidados.

Os Parkinsons são um dos destaques na comemoração deste sábado
Fotogaleria
Os Parkinsons são um dos destaques na comemoração deste sábado DR
Luís Salgado, o anfitrião, a subir a palco para viver um momento "delicado"
Fotogaleria
Luís Salgado, o anfitrião, a subir a palco para viver um momento "delicado" DR

Ter concertos na festa de aniversário não é propriamente inédito. Tanto pode acontecer com o aniversariante que convoca a banda de amigos para animar o serão, coisa amadora, quanto com o pai multimilionário que, num principado árabe, contrata Beyoncé ou Rihanna por uma batelada de dinheiro para fazer uma surpresa ao rebento. Agora, ter uma festa de aniversário que é um festival a sério, com entrada aberta ao público e selecção cuidada do alinhamento, isso já é mais raro. Não diríamos inédito porque 2019 não será ano de estreia — será o ano que se cumpre a sexta edição. A sexta edição de quê? Ora, do Salgado Faz Anos… Fest. Este sábado, dia 26 Janeiro, o Maus Hábitos, no Porto, recebe Parkinsons, Sunflowers, Julius Gabriel ou  Pretu, o novo veículo criativo de Chullage, para comemorar o dito Salgado – ou seja, Luís Salgado, o programador do espaço.

Tudo começou como tudo normalmente começa em Portugal, ou seja, à volta de uma mesa. Aproximava-se a data em que Luís Salgado comemoraria um aniversário em número redondo e, entre pratos e copos, surgiu a ideia. Para celebrar a data a sério, o programador, que é também mentor dos Stereoboy, devia, em vez de uma festa, organizar um verdadeiro festival. Era só uma provocação, mas Salgado levou-a a sério e, chegada a data, houve mesmo festival no Maus Hábitos. Correu tão bem que, a partir de então, cada Janeiro é marcado no espaço pelo Salgado Faz Anos… Fest, para os quais são convidadas bandas e DJs pelas quais o organizador tem apreço há muito e outras que lhe chamaram a atenção ao longo do ano anterior.

Neste momento, é provável que muitos dos que vão passar pelos Maus Hábitos na noite de sábado não conheçam o aniversariante, mas a verdade é que a festa que carrega o seu nome já se tornou, de certa forma, independente dele. Há muita música, durante muitas horas (as portas abrem às 21h30 e fecham às 6h) e é para a ver e ouvir que o público paga os 8€ (pré-venda limitada a 200 bilhetes) ou 12€ (pré-venda e no própria dia) que custam os bilhetes.

Divididos por três palcos, o Salgado Faz Anos… Fest acolhe este ano, no Palco O Salgado, o rock’n’roll e o punk rock de Parkinsons e Sunflowers, o hip hop de Pretu (Chullage) e o disco-house (e outros grooves mais) dos MEERA. Pelo Palco Super Bock passarão alucinações rock de várias matizes, provocadas pelas Decibélicas, P A L M I E R S, Krypto, Sereias, Greengo e Solar Corona. O Palco Stockhausen, por sua vez, servirá para viajar ao som das explorações do saxofonista Julius Gabriel, para mergulhar no noise-rock das Savage Ohms, para nos confrontarmos com as patifarias sónicas de Terebentina ou para desvendar o mistério: quem será o músico apresentado como “Aquele gajo que vem sempre?” –​ pelo palco passam ainda o psicadelismo intenso do duo Talea Jacta, as caixas de ritmos, sintetizadores e canto falado dos Lonz Dale’s Fantasy e os Casio para a pista de dança do duo Vive les Cônes.

Entre tudo isto, espaço também, ao início da noite, às 22h, para o surf-rock dos O Bom, o Mau e o Azevedo na Mupi Gallery — e para apreciar as instalações de Pedro Mkk, Oupas! Design e Henrique Richard. Noite fora depois dos concertos, chegará a hora de dançar os DJ sets de Dias de Blanca (ou seja, Nuno Dias e La Flama Blanca), DJ Lynce, Paulo Cunha Martins, Sérgio Hydalgo, Gin Party Soundsystem e BENT.