Polícia não vai deixar manifestação do PNR chegar à sede do BE

Extrema-direita protesta contra o Bloco de Esquerda e a associação SOS Racismo. No Seixal, moradores do Bairro da Jamaica vão manifestar-se junto à câmara municipal.

Foto

O Partido Nacional Renovador (PNR) convocou para as 18 horas desta sexta-feira uma manifestação em frente ao Ministério da Administração Interna, no Terreiro do Paço, em Lisboa, seguida de uma marcha até à sede do Bloco de Esquerda (BE), na Rua da Palma. No entanto, o intendente da PSP Alexandre Coimbra disse ao PÚBLICO que os manifestantes não vão poder entrar na Rua da Palma. A justificação apontada é o facto de a via ser "estreita", pelo que o protesto iria perturbar a circulação automóvel. Como se espera “um grupo restrito de manifestantes” que “não deve ultrapassar as 100 pessoas”, explica o responsável da PSP, as autoridades entendem que não se justifica o corte do trânsito nesta rua.

Os manifestantes serão encaminhados para um espaço reservado, no início da Rua da Palma, a cerca de 80 metros da sede do BE.

Os organizadores do protesto afirmam que o objectivo é demonstrar apoio à polícia e oposição à associação SOS Racismo. A manifestação acontece em resposta às críticas do BE à actuação das autoridades no Bairro da Jamaica, no Seixal. No último fim-de-semana, a deputada bloquista Joana Mortágua exigiu "explicações" pela intervenção policial no bairro, partilhando um vídeo de desacatos entre agentes e moradores. Mamadou Ba, assessor do partido e dirigente do SOS Racismo, também criticou com veemência a actuação da PSP.

As intervenções dos bloquistas foram condenadas por outros partidos, nomeadamente o PS, cujo presidente Carlos César acusa o BE de "acirrar ânimos", e o PSD, cuja concelhia de Lisboa responsabiliza Joana Mortágua pelos distúrbios de segunda-feira no centro da capital.

Foi convocada igualmente, para esta sexta-feira, uma manifestação dos residentes do Bairro da Jamaica, desta vez junto à Câmara Municipal do Seixal, às 16 horas. Alexandre Coimbra, da PSP, diz que se preparou um dispositivo “normal”, uma vez que não se antevê problemas em torno deste protesto. A manifestação está autorizada e a PSP espera entre 300 e 500 participantes.

Na página do Facebook A Voz da Mãe Preta, que convocou a manifestação, foi colocado um vídeo da família Coxi pedindo que o protesto se faça “pacificamente”. No vídeo, aparece Fernando Coxi e Julieta Joia, os pais de Hortencio Coxi, o homem que foi detido no domingo após desacatos entre moradores e agentes da polícia.

Sugerir correcção