Montenegro sai de cena e prepara futura candidatura

O ex-líder parlamentar do PSD deixa a TVI e a TSF. SIC também renova imagem e conteúdos no comentário político.

Foto
Luís Montenegro cede espaço mediático à equipa de Rio Nuno Ferreira Santos

Depois de ter sido derrotado no seu desafio à liderança de Rui Rio, Luís Montenegro vai ser mais discreto no espaço mediático para não ser acusado de perturbar o trabalho da direcção do PSD. O antigo líder da bancada pediu a suspensão da sua participação no espaço de comentário na TSF e na TVI, mas deverá continuar o trabalho de preparação, no terreno, para ser candidato à liderança do partido num momento futuro.

O ex-líder da bancada parlamentar não quer dar argumentos à direcção do PSD para ser responsabilizado por um eventual mau resultado nas eleições e decidiu ceder o seu espaço mediático à equipa de Rio. Já esta quarta-feira, no programa Almoços Grátis da TSF, foi substituído por David Justino, vice-presidente do PSD. Do lado do PS manteve-se o líder da bancada Carlos César, com quem Luís Montenegro contracenou durante um ano e meio naquele programa.

Mesmo que se focasse em criticar o Governo – como prometeu na passada sexta-feira no rescaldo do conselho nacional que aprovou a moção de confiança – Montenegro receava que as suas palavras na TSF e na TVI (onde tinha uma rubrica sozinho) fossem interpretadas como uma crítica indirecta à direcção do partido. Por isso, sai dos espaços regulares de comentário e quando aparecer, esporadicamente, será para combater as políticas do executivo.

Montenegro vai continuar a sua actividade profissional como advogado mas não vai afastar-se do partido. No PSD há quem acredite que Montenegro será um forte candidato no futuro e que é preciso construir esse caminho ao longo dos próximos meses. Os seus apoiantes consideram que o antigo líder parlamentar ganhou pontos por ter desafiado a liderança de Rui Rio num momento difícil enquanto outros potenciais candidatos ficaram em silêncio na sua zona de conforto. Para os mais próximos de Montenegro ficou claro para os militantes que o antigo líder da bancada já se posicionou como candidato. Agora é preciso ir para o terreno e começar a fazer o roteiro da “carne assada” para reunir apoios para um momento futuro, que só deverá acontecer depois das legislativas de Outubro.

SIC remodela comentário politico

Após ter mudado o painel do comentário desportivo, a SIC Notícias emitiu na terça-feira o último espaço de comentário político de Pedro Santana Lopes e Carlos César. Questionado pelo PÚBLICO, Ricardo Costa afirma que aproveitou a mudança de instalações do canal - de Carnaxide para o edifício do Expresso, em Laveiras (Caxias), mantendo-se no concelho de Oeiras - para renovar a imagem e os conteúdos. No caso da dupla Santana – César, havia um problema acrescido: “Estamos à beira de um ciclo eleitoral e não era sustentável por muito mais tempo manter um programa fixo com um líder partidário que vai a eleições em Maio.”

Ricardo Costa recusa a ideia de o espaço ter terminado por já não representar os dois maiores partidos, uma vez que Santana Lopes deixou o PSD e fundou a Aliança. Mas admite que a rubrica poderá ser retomada daqui a algum tempo com outros protagonistas.

O programa já tinha estado suspenso no final de 2017, quando Santana fez a campanha para a liderança do PSD, e numa altura em que debatia com António Vitorino. O espaço de comentário voltou a ser suspenso quando o socialista saiu para se dedicar à sua candidatura ao cargo de director-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM). Eleito Vitorino, a sua cadeira na SIC acabou por ser ocupada por Carlos César que, embora presidente do PS, acaba por não ter funções executivas no partido.

Com o fim da Quadratura do Círculo na SIC, o programa Eixo do Mal muda-se para as noites de quinta-feira e será preciso decidir que conteúdo emitir no seu lugar ao sábado à noite, admite Ricardo Costa.