Câmara de Lisboa cria grupo de Facebook para falar de lixo

Autarquia apela aos cidadãos que denunciem "situações de abuso e de falta de cidadania" para melhorar a higiene da cidade.

Cenário recorrente na capital que a câmara quer combater
Foto
Cenário recorrente na capital que a câmara quer combater Nuno Ferreira Monteiro

“Lisboa – Higiene Urbana”. Assim se chama o grupo de Facebook que a câmara de Lisboa activou há duas semanas e que funciona como um balcão virtual de reclamações e denúncias. Os munícipes colocam fotografias de uma esquina cheia de lixo, por exemplo, e passado algum tempo a autarquia responde com uma fotografia do local já limpo.

Na verdade, o grupo já existia desde Março do ano passado, mas permaneceu adormecido até ao início de Janeiro, momento em que ganhou o nome actual e passou a divulgar acções de limpeza, informações úteis e regras para a correcta deposição de lixo. “Responder em tempo real a problemas identificados pela população” é o principal propósito do grupo, explica fonte oficial da autarquia. Também no Twitter se pode interpelar a câmara com queixas.

O despertar deste grupo coincidiu com a apresentação das dez medidas para a Higiene Urbana consideradas prioritárias pelo executivo camarário, com a aprovação de um novo regulamento que prevê mais responsabilidades para cidadãos e empresas e com a discussão em câmara de propostas de vários partidos sobre esta matéria. E surge depois de, em 2018, o volume de lixo e a falta de limpeza das ruas terem ganhado uma exposição mediática e política de grandes dimensões.

No grupo trata-se sobretudo de lixo. A 6 de Janeiro, numa das primeiras publicações, a câmara colocou duas fotografias: uma mostrando um vidrão do Areeiro cheio de lixo à volta, a outra com o local já limpo. No dia seguinte usou o mesmo método, mas para asseverar que tinha substituído uma papeleira. Quando o grupo se tornou mais popular, começaram a ser os cidadãos a pôr fotografias do “antes”, aos quais geralmente a autarquia responde com uma “depois”.

“A deposição de lixo na via pública continua a ser um problema na nossa cidade. Não pactue com essas situações. Ajude-nos a limpar a cidade. Utilize a app ‘Na Minha Rua’ para denunciar estas situações de abuso e de falta de cidadania”, pede o município numa das publicações.

Também já lá foram anunciadas limpezas de fachadas pichadas, o número de telefone para pedir recolha de monos, o mapa dos oleões da cidade e até um lembrete de que passear cães sem trela e deixar dejectos por apanhar é ilegal e dá multa.

O grupo tem, ao momento da escrita, cerca de mil membros, um tudo-nada menos do que o outro grupo gerido pela câmara na mesma rede social, “Lisboa – Cultura”, vocacionado para a “divulgação dos eventos culturais em Lisboa”.